• 17 de janeiro de 2021

O FINO DA POLÍTICA – Vai pedir para sair, Bolsonaro?

Reza a lenda que um líder deve servir de exemplo para os seus liderados. Mas, pelo visto, o nosso presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, já não está mais tão convicto de que pode fazer a diferença em prol de um Brasil melhor. Não é possível que ele não sabia que para vencer as inúmeras batalhas para pôr o país nos trilhos teria que encarar os maiores desafios de sua vida política. Ou será que durante os 28 anos que esteve na Câmara dos Deputados, o agora presidente Jair Bolsonaro não aprendeu que política neste país continental é para profissionais? Ou, apenas procurou aprender a parte das “rachadinhas” e “funcionários fantasmas”?

Leia também  Abadia vai de Rollemberg e a família Roriz de Eliana Pedrosa

Veja também

O Fino da Política – As movimentações da política brasiliense e do Brasil

É triste para nós, como cidadãos, ouvir daquele que nos governa que “não consegue fazer” porque o “Brasil está quebrado”. Essa não é a postura esperada de um líder de uma nação. Que o nosso presidente vira e mexe se excede nas suas falas e suas “brincadeirinhas”, isso já não é novidade, porém, se manifestar dessa forma dá a entender que a qualquer hora ele pode jogar a toalha.

Para um homem que se apresentou como um líder forte e com capacidade de mudar o rumo do Brasil, a fala do presidente na terça-feira, dia 5 de janeiro de 2021, vai ficar no subconsciente das pessoas até que venha outra. No entanto, a atitude de Jair Bolsonaro demonstra que seu governo está perdido. Como pode outros países já terem começado a imunizar a sua população e nos estamos a míngua? Para piorar, as clínicas particulares brasileiras querem ofertar uma vacina que nem está sendo avaliada pela Anvisa, agência responsável por regular medicamentos. É sinal que a coisa está fugindo do controle do Estado. Ou, a tal burocracia que a Pfizer criticou nos últimos dias impede que tenhamos a vacina? Essas são respostas que merecemos saber.

Leia também  CAESB ALERTA | Detectar vazamentos em imóveis é um forma de uso consciente da água

Portanto, presidente Jair Bolsonaro, em quem votei almejando ver um Brasil com mais dignidade e mais respeito pelo seu povo, se o senhor não está dando conta do recado, ouça o capitão Nascimento, personagem interpretado por Wagner Moura no filme Tropa de Elite, e peça para sair. C’est fini! Simples assim! Acabe com sua agonia e vá para casa.

Foto: Marcos Correa/Divulgação/Fotos Públicas 

">

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

UNIVERSITÁRIO DO BEM | Caiado sanciona lei que cria programa de bolsas e mediação para inserção no mercado de trabalho

Read Next

PREPARA DF | Sejuv lança programa que oferece curso preparatório para o ENEM e vestibular