• 17 de janeiro de 2021

O Fino da Política – As movimentações da política brasiliense e do Brasil

Ibaneis Rocha afirma que o DF irá se superar em 2021

Foto: Divulgação/CLDF

O atual governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, do MDB, durante a posse da mesa diretora da Câmara Legislativa do DF, na sexta-feira (1º), disse aos distritais que seu governo em 2021 vai priorizar sua atuação em realizar grandes obras e dar uma atenção especial aos programas de desenvolvimento social para que a economia possa se recuperar e retomar o caminho do crescimento. Para Ibaneis, a estratégia vai ajudar a capital da República a se reerguer e se superar. Em 2020, o GDF socorreu o empresariado com programas de acesso a linhas de crédito por administrados e executados pelo BRB e contou com apoio da CLDF para lançar o Refis, permitindo que o setor saísse do sufoco. Já na área social, Ibaneis Rocha criou programas como o Prato Cheio e o Renda Emergencial, que ajudaram a população mais carente a enfrentar a crise da pandemia do coronavírus. A ida de Ibaneis Rocha à CLDF, sinaliza que o chefe do Executivo estará mais próximo ao parlamento distrital ao longo de 2021. Aliás, Ibaneis é o governador que mais vezes esteve na Câmara Legislativa.

Para Rafael Prudente, “independência não quer dizer (fazer) oposição”

Rafael Prudente discursando na CLDF durante posse
Foto: Divulgação/CLDF

Desde que chegou à CLDF em 2015, o deputado Rafael Prudente, do MDB, vem demonstrando habilidades no jogo político que resultou na sua reeleição para a presidência da casa. Outros parlamentares que estiveram no seu posto tentaram instituir a possibilidade de comandar a CLDF por quatro anos, mas Rafael entrou para a história da política brasiliense como o primeiro reeleito. Vai ver a façanha tenha muito a ver com a declaração dada durante discurso de posse na última sexta. “Independência não quer dizer (fazer) oposição”, observou o distrital. Para 2021, o GDF deve enviar projetos como a Luos e o PDOT, o que certamente irá fazer com que a CLDF tenha debates acalorados sobre os temas e assuma parte do protagonismo na aprovação das propostas.

Leia também  BALANÇO DE 2020 | Sob a gestão de Ibaneis, DF tem o menor índice de homicídios em 41 anos

Senadores e alguns federais distantes dos distritais

Foto: Divulgação/CLDF

A ausência dos senadores e deputados federais do DF, a exceção do deputado federal, Julio Cesar, do Republicanos, demonstra que os parlamentares do Congresso Nacional estão distantes dos deputados distritais. É importante que não se esqueçam que os deputados locais estão mais próximos das bases do que os parlamentares federais. Se continuar dessa forma, o distanciamento deverá influenciar nas composições em 2022. Sem contar que federal ou senador, sem distrital não é ninguém numa campanha eleitoral nas RAs.

Janeiro traz com ele o medo da exoneração

Foto: Reprodução Google Imagens

O início de todo ano traz consigo uma possível dança das cadeiras em qualquer órgão da Administração Pública. Nos corredores do GDF, já tem gente de orelha em pé buscando informações se há rumores de troca no comando. Por enquanto, Ibaneis vem demonstrando que está satisfeito com a equipe. No entanto, como estamos a dois anos das eleições de 2022, muita coisa pode mudar. Ou seja, quem não deve, não deve temer. Quem trabalhou, com certeza, fica. Agora, que está só a passeio, pode esperar que uma hora a casa cai. E não tem padrinho que segure incompetência. Quem está sofrendo com o medo da exoneração é porque tem culpa no cartório.

Leia também  O FINO DA POLÍTICA – Os bastidores da política brasileira e brasiliense em tempos de coronavírus

Mergulho com direito a claque em Santos

bolsonaro em praia grande
Foto: Reprodução Google Imagens

Os passeios presidenciais sempre geram boas pautas para os repórteres e setoristas do Planalto, ainda mais em tempos de Jair Bolsonaro no Alvorada. A aparição do presidente Bolsonaro numa lancha em Praia Grande, em São Paulo, na sexta-feira (1º), me chamou atenção pela quantidade de banhistas que estavam no local a espera do “mito” como costumam chamar o nosso presidente. Aproveitando-se da claque aquática, Bolsonaro acenou e se lançou ao mar indo de encontro aos apoiadores. O pessoal do marketing do Gabinete do Ódio ainda não aprendeu que a encenação não convence mais. O presidente tem bons números, mas se seguir assim, as coisas podem desandar.

Como Dória não emplaca, Huck e Moro passam a ser bem vistos pelos grandes empresários

Moro e Huck
Foto: Reprodução Google Imagens

Já se fala que o governador de São Paulo, João Doria, do PSDB, já não é mais o melhor cotado entre o meio empresarial para 2022. Apesar de Doria, ter uma boa quantidade de empresários de primeira linha, a falta de ascensão dele nas pesquisas geram dúvidas quanto a sua capacidade de vencer as eleições. Com isso, o queridinho da Globo, o apresentador Luciano Huck e o ex-juiz federal, Sérgio Moro, estão ganhando espaço nesse meio. Em dezembro de 2020, foram realizadas sondagens com os nomes dos dois e os números apresentaram uma boa aceitação e baixa rejeição de ambos. Pelo visto, a “estrela paulista” vai ter que dançar em outro camarote.

Leia também  PR discutirá se aceita ou rejeita Ibaneis como sucessor de Frejat

Rodrigo Maia deve cobrar a fatura por ter sentado no foro privilegiado e eleger Baleia Rossi

Baleia Rossi, Maia e Aguinaldo Ribeiro
Foto: Divulgação/O Globo

O poder sempre mexe com as pessoas e quem pela mosca azul é picado, jamais quer perder o que ganhou. Que o diga o ainda presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM. Dizem as más línguas congressistas, que Maia está cobrando a fatura dos líderes partidários que solicitaram a ele que esquecesse a PEC do Fim do Foro no fundo da gaveta. A PEC precisa passar apenas no plenário da Câmara para ser promulgada e com isso, apenas o presidente e o vice-presidente da República, os presidentes da Câmara, do Senado e do STF, terão direito ao foro privilegiado. Para que Baleia Rossi, do MDB, possa se tornar o próximo presidente da Câmara, Rodrigo Maia disse que está na hora de pagarem o que devem a ele.

">

Para Refletir

“O covarde só ameaça quando se acha em segurança”, Johann Goethe (1749 – 1832), foi um estadista e escritor alemão.

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

RISCO DE ALAGAMENTOS | Domingo de alerta de temporais no Brasil

Read Next

MELHORIAS NA REDE | Regiões do Gama e SIA ficarão sem energia nesta segunda (04)