Em tempos de contenção e redução de despesas, CNJ aprova auxílio-saúde para juízes

Mesmo em um cenário de aperto fiscal, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu regulamentar, na semana passada, o auxílio-saúde a magistrados e servidores das cortes de todo o país. A decisão contempla integrantes ativos, inativos e pensionistas do Poder Judiciário. Os tribunais possuem até um ano para se adequarem à resolução, cujo objetivo é padronizar os pagamentos.

Pelas novas regras, ficam estabelecidas três modalidades a serem escolhidas pelos tribunais de Justiça: convênio com planos de saúde (inclusive com coparticipação); serviço de assistência médica prestado diretamente pelos respectivos órgãos; ou reembolso.

No último caso, considerado um tipo de verba indenizatória, o CNJ fixou um limite mensal para o ressarcimento de 10% do salário do magistrado ou do servidor. A quantia é um valor adicional, ou seja, não é somada ao salário do funcionário. Segundo a resolução, só poderá receber o reembolso o “beneficiário que não receber qualquer tipo de auxílio custeado, ainda que em parte, pelos cofres públicos”.

De acordo com o conselheiro Valtércio de Oliveira, relator da resolução, foi determinado um teto para o reembolso devido ao “momento atual de crise financeira e econômica à qual o país atravessa”. O objetivo, argumenta em seu voto, é “não embaraçar os orçamentos dos tribunais e, a médio prazo, possibilitar o gradual incremento de disposição de recursos”.

“A saúde de servidores e magistrados não pode ser vista como fator dissociado das funções ordinárias e institucionais do quadro humano que compõe o tribunal. Deve ser compreendida em um espectro de maior envergadura com o fim de ser apta a proporcionar ideais condições psíquicas e físicas para o desempenho das funções dos cargos”, justificou o relator.

Fonte: Agência Estadão Conteúdo

expressaobrasiliense

Read Previous

Bombeira do DF que foi atingida por árvore será sepultada nesta segunda-feira (16)

Read Next

Governo do Pará aciona o governo federal para ajudar a combater incêndios no Estado

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.