População aguarda ansiosa a divulgação dos nomes dos Administradores Regionais do Governo Ibaneis

O ti ti ti e o disse me disse em torno dos nomes para comandar as Regiões Administrativas (RAs) do DF, mesmo que por pouco tempo, tem deixado a população apreensiva e ansiosa para saber quem são os escolhidos. Há rumores de que na segunda-feira (31), o futuro governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), anuncie parte dos nomes de quem irá representá-lo nas cidades.

Durante a campanha, Ibaneis se comprometeu em dar mais autonomia às Administrações Regionais e que os administradores seriam escolhidos por meio da participação popular. A Lei Orgânica do DF prevê a eleição para administrador por meio do voto, porém nunca foi regulamentada.

Após as eleições, a Câmara Legislativa derrubou o veto do ainda governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), de um Projeto de Lei do deputado Chico Vigilante (PT) que determina que sejam realizadas eleições para o cargo de administrador regional logo nos primeiros três meses de governo e terá mandato de quatro anos. Porém, o TRE/DF já informou que apenas a União tem a prerrogativa de legislar sobre Direito Eleitoral. Ou seja, mais uma lei inconstitucional para a coleção dos distritais, o que leva alguns analistas a defenderem o fim da CLDF alegando que o que se gasta com os deputados locais não vale a pena.

Mas, voltando à escolha dos administradores regionais, a expectativa de muitos é que Ibaneis indique pessoas de sua confiança nesse primeiro momento para ganhar tempo e decidir como a população irá participar desse processo. Na maioria das cidades, líderes comunitários e representantes de associações organizaram abaixo-assinados, enquete virtual e alguns até já montaram equipe almejando o posto de líder máximo da região. Tem até gente dando entrevista e cavando nota em blogs como futuro administrador. Quanta inocência ou falta de preparo mesmo. Como fala um ex-distrital, campeão de mandatos: política não é para amadores.

Resta saber se Ibaneis vai quebrar a velha prática de indicar apadrinhados de deputados distritais para chefiar as administrações regionais, já que políticos locais, em sua grande maioria, não foram contemplados em seu governo e as administrações sempre foi a “galinha dos votos de ouro na CLDF”.

Com isso, os pseudos-candidatos de primeira hora se queimaram na grande frigideira. Como ninguém gosta de comida queimada, novos ingredientes (postulantes) deverão ser escolhidos para que ninguém tenha uma indigestão. Nessa altura do campeonato, os talheres já estão nas mãos de quem vai comer. Se é que dá para entender o recado. Realmente, o apressado come cru.

Da Redação

Foto: Divulgação/Metrópoles

expressaobrasiliense

Read Previous

Contagem regressiva para as posses de Ibaneis e Bolsonaro

Read Next

“Vamos recuperar o que perdemos nos últimos anos no DF”, disse Izalci para o Expressão Brasiliense

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.