• 19 de abril de 2021

PLANO MAIS BRASIL | Arthur Lira diz que reforma administrativa é prioridade na Câmara dos Deputados

Ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), disse na quinta-feira (4) que a prioridade dos deputados será a votação da reforma administrativa, que modifica a forma como os servidores públicos são contratados, promovidos e demitidos. Ficaram de fora do alcance da maior parte das mudanças os servidores atuais e os chamados membros de outros Poderes (juízes, promotores, desembargadores, por exemplo).

Veja também

 

Lira se reuniu com Guedes na sede do Ministério da Economia, em Brasília. O ministro deve receber ainda hoje o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-RJ). Segundo Lira, o Senado deve priorizar a votação das propostas de emenda constitucional (PECs) do chamado “Plano Mais Brasil”, enviado por Guedes ao Congresso em novembro de 2019.

Leia também  Filho de Rollemberg posta vídeo nas redes sociais ostentando ter combustível em plena crise

Uma das propostas é o chamado pacto federativo, que revê as regras fiscais e injeta recursos nos Estados e municípios. O pacote também inclui uma PEC emergencial para abrir R$ 28 bilhões no Orçamento em dois anos e R$ 50 bilhões em uma década, e outra para tirar o carimbo de R$ 220 bilhões em recursos hoje parados em fundos do governo.

“Estamos absolutamente sintonizados com o governo federal e a pauta de reformas, a solidificação da nossa economia, com previsibilidade e harmonia”, disse Lira, ao lado do ministro Paulo Guedes, que, diferentemente do congressista, não usava máscara.

Lira disse ainda que o projeto de autonomia do Banco Central, já aprovado no Senado, estará na pauta da Câmara na próxima semana. O texto estipula mandatos estáveis e requisitos para nomeação do presidente e de diretores do BC.

Leia também  ALÍVIO PARA O CONSUMIDOR | Senado aprova o congelamento de preços de remédios e de planos de saúde

Guedes parabenizou Lira pela vitória e disse que isso o deixa “esperançoso e confiante” na retomada da agenda de reformas. “Estamos retomando a agenda de reformas em perfeita harmonia. Estamos 100% à disposição do Congresso Nacional para trabalharmos juntos”, afirmou. A maior parte das reformas enviadas pelo governo ao Congresso são por meio de uma PEC, que exige aprovação de três quintos da Câmara (308 votos) e do Senado (49 votos).

Apoiado pelo Palácio do Planalto, Lira foi eleito com 302 votos, após uma disputa marcada por traições, recuos e denúncias de compra de votos. A escolha de Lira representou a vitória do Centrão, grupo de partidos conhecido pela prática do “toma lá, dá cá”, e um novo capítulo para o governo de Jair Bolsonaro, que aposta em uma agenda mais conservadora do que liberal para conquistar novo mandato.

Leia também  REAPROXIMAÇÃO COM STF | Bolsonaro aparece de surpresa em sessão do adeus de Toffoli

O ministro não respondeu aos questionamentos dos jornalistas sobre prorrogação do auxílio emergencial e disse que está “observando” a situação. “Se a pandemia nos ameaçar, sabemos como reagir. Estamos observando”. Guedes falou em adotar medidas que não tenham efeito fiscal, como a antecipação do 13º pago a aposentados. “Na saúde, [precisamos de] vacinação em massa e proteção aos mais vulneráveis”.

(Agência Estadão Conteúdo)

Foto: Dida Sampaio/Agência Estadão Conteúdo 

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

SÓ PARA A METADE DOS DESEMPREGADOS | Guedes diz que governo pode conceder novo auxílio de R$ 600

Read Next

VACINAÇÃO CONTRA COVID | Especialista alerta que vacina é contraindicada para grávidas, lactantes e menores de 18 anos