• 23 de julho de 2024

ACABOU O AMOR | Governo de Tarcísio de Freitas pede à Justiça que obrigue Bolsonaro a pagar a multa de R$ 43 mil por não usar máscara durante a pandemia em SP

O clima de amor e encantamento entre Tarcísio de Freitas e Jair Bolsonaro parece que chegou a fim. O governo do republicano, por meio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), solicitou na Justiça que o ex-presidente seja obrigado a pagar a multa de R$ 43 mil de ele deve ao estado de São Paulo, pela falta de uso de máscara durante a pandemia da covid-19. Na sexta-feira (7), o caso repercutiu após a Justiça confirmar que o ex-presidente não refutou o pedido e tampouco contestou.

O recurso apresentado pela PGE paulista diz que “a persistência em reincidir na mesma conduta, mesmo depois ter sido por diversas vezes penalizado, aliada à conhecida oposição do recorrido à adoção das medidas preventivas ao contágio da covid-19 evidenciam a existência de dolo”. A entidade pede que o valor da multa do processo administrativo, R$ 43 mil, seja restabelecido.

Bolsonaro teve dez dias para apresentar réplica ao recurso, mas não o fez. O processo seguirá para a Turma Recursal do Tribunal de Justiça de São Paulo. A ausência de contrarrazões do ex-presidente pode pesar na decisão da Corte, mas não leva à concordância automática com o pedido da PGE. A ação contra Bolsonaro vem sendo movida desde a gestão anterior, mas Tarcísio mandou dar prosseguimento.

Durante a semana, a relação de Tarcísio de Freitas e Jair Bolsonaro ficou estremecida. A reforma tributária, aprovada pela Câmara dos Deputados na noite de quinta (6), com amplo apoio da dos parlamentares, inclusive de pseudosaliados de Bolsonaro, é apontado como um dos motivos de atrito entre os dois.

Tarcísio participou de uma reunião com presidente e aliados em Brasília e não foi muito bem recebido. O governador de São Paulo saiu do evento hostilizado pelos bolsonaristas mais radicais.

O governador paulista apoiou a proposta do governo Lula, contra a qual Bolsonaro e parlamentares do PL articulavam o adiamento da votação. A posição de Tarcísio foi definida depois de uma reunião com Fernando Haddad, ministro da Fazenda. Bolsonaro disse que “ficou chateado” com o governador por causa da suposta traição.

Agora, chegou a hora de Tarcísio dar o troco em Bolsonaro obrigando-o a pagar a multa para os paulistas e continuar sendo considerado como um mau exemplo para o País. Nos bastidores, já se fala que o governador paulista está despontando como o único com condições políticas de aglutinar a direita em 2026. Vai ver seja por isso que o ex-presidente tenha adota a tática de ir para cima do republicano.

Por ora, Tarcísio de Freitas está seguindo em frente sem se preocupar com o futuro. Há quem diga que o governador paulista não descarta concorrer à reeleição. Até 2026, ele vai deixar as aconteceram e ver no que dá.

Já Bolsonaro ainda está juntando os cacos da inelegibilidade e precisa reorganizar seu grupo se quiser se manter dentro do jogo político até 2026. Se ele vacilar, o ‘trator’ Tarcísio o atropela no meio do caminho. Mas, antes disso, Bolsonaro tem que pagar a multa.

Foto: Reprodução/Google Imagens

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp.

Expressão Brasiliense

Read Previous

MUDOU O DISCURSO | Arthur Lira diz que Câmara não fez ‘nenhum compromisso com o que o Senado votou’ em relação ao PLP do arcabouço fiscal

Read Next

BALANÇO DA SSP-DF | Registros criminais apontam queda na quantidade de homicídios no DF no 1º semestre de 2023