• 20 de abril de 2021

INVESTIGAÇÃO ILEGAL | STJ quer apuração sobre atuação de Dallagnol contra ministros

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, pediu ao procurador-geral da República Augusto Aras que abra uma apuração criminal e administrativa contra os procuradores Deltan Dallagnol, ex-coordenador da Lava Jato no Paraná, e Diego Castor de Mattos, que integrou a força-tarefa.

Veja também

INDICADO POR BOLSONARO | Nunes Marques deve decidir destino de Lula no STF

O ofício foi enviado após a emissora CNN Brasil revelar diálogos entre Deltan e Diego Castor. As conversas mostram a intenção dos procuradores de investigar, sem autorização, a movimentação patrimonial de ministros do STJ.

As mensagens fazem parte do pacote de conversas apreendidas na Operação Spoofing e cujo acesso foi autorizado à defesa do ex-presidente Lula (PT) pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal.

Leia também  NÃO PRECISA OBEDECER O PRESIDENTE | STF decide que governadores e prefeitos podem definir serviços essenciais durante pandemia

Na conversa revelada pela CNN Brasil, Deltan escreve: “A RF [Receita Federal] pode, com base na lista, fazer uma análise patrimonial, que tal? Basta estar em EPROC [processo judicial eletrônico] público. Combinamos com a RF”, escreveu Deltan para, em seguida, emendar: “Furacão 2”. O procurador Diogo Castor de Mattos, que integrava a força-tarefa na ocasião, respondeu Deltan: “Felix Fischer eu duvido. Eh um cara serio (sic)”, escreveu.

Leia também  “04” NA MIRA DA JUSTIÇA | MPF apura prática de tráfico de influência por Jair Renan

‘Furacão 2’ seria uma referência à operação Furacão, deflagrada em abril de 2007 e que atingiu o então ministro do STJ Paulo Medina, denunciado por integrar um esquema de venda de sentenças judiciais. O irmão do ministro também foi investigado, assim como o ex-vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região José Eduardo Carreira Alvim, o então procurador regional da República João Sérgio Leal, o então juiz do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas Ernesto Dória.

Leia também  Fachin arquiva trechos de delação que citam Maia e irmão de Toffoli

No ofício enviado a Aras, Humberto Martins afirma que as informações trazidas pela reportagem são ‘graves’. “Solicito a Vossa Excelência que tome as necessárias providências para a apuração de condutas penais, bem como administrativas ou desvio ético dos procuradores nominados e de outros procuradores da República eventualmente envolvidos na questão, perante o Conselho Nacional do Ministério Público”, frisou o ministro Humberto Martins.

(Matéria adaptada da Agência Estadão Conteúdo)

Foto: Divulgação/Ag. Reuters 

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

ESTRELA APAGADA | Botafogo perde para o Sport e confirma rebaixamento para série B

Read Next

UNIÃO EUROPEIA TOMA CANO | Fabricantes de vacinas reduzem entregas e líderes europeus temem colapso