• 12 de abril de 2024

Moradores de condomínios em Sobradinho terão seus imóveis regularizados

Enfim, os moradores de 54 condomínios situado na região do Grande Colorado, em Sobradinho, terão a tão aguardada regularização de seus imóveis resolvida. O governo do Distrito Federal teve que entrar em campo para resolver o conflito que já dura alguns anos, quiçá, décadas.

Nesta quinta-feira (21), representantes dos condomínios e a empresa Urbanizadora Paranoazinho, proprietária das terras, se reuniram, a pedido do governador Ibaneis Rocha (MDB), com técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) para iniciar as tratativas do processo de regularização.

A mediação do GDF está sendo fundamental para por fim ao impasse. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, a pasta irá oferecer apoio técnico a fim de que o processo de regularização da área seja concluído. Por se tratar de regularização em área privada, a atuação da secretaria se dá no âmbito de colaboração. A expectativa é que, com isso, o acordo ocorra de forma satisfatória para ambos os lados. “Queremos dar a nossa contribuição no alinhamento de visões e ideias”, defendeu Oliveira.

As deliberações da reunião preliminar serão submetidas à aprovação do Comitê de Mediação de Regularização Fundiária, do qual a Seduh faz parte e foi criado no mês passado. Neste primeiro momento, foram definidos os critérios a serem contemplados no acordo. Os pontos a serem observados serão o modelo de regularização — se por meio da Urbanizadora Paranoazinho ou das associações de condomínios —; os custos do processo; a implementação de espaços públicos comunitários; e a manutenção do padrão atual de cercamento.

A solução do conflito é necessária para que a Urbanizadora Paranoazinho possa viabilizar um empreendimento da empresa numa área vazia da região, a Cidade Urbitá, com capacidade para abrigar 118 mil pessoas. A primeira etapa do novo bairro foi aprovada pelo Conselho de Planejamento Urbano e Territorial do DF (Conplan) ainda na gestão de Rodrigo Rollemberg no apagar das luzes. A empresa terá que aceitar a conciliação para poder seguir em frente. Como diz a oração de São Francisco: Pois é dando que se recebe.

Vamos aguardar as cenas do próximos capítulos.

Da Redação com informações da Agência Brasília

Foto: Google Imagens

Expressão Brasiliense

Read Previous

O uso da tecnologia nas escolas vem crescendo a passos largos

Read Next

Ministro Fachin nega mais um pedido de liberdade de Lula