• 5 de dezembro de 2020

ALIMENTAÇÃO PESOU NO ORÇAMENTO | Inflação para família com renda mais baixa sobe para 0,89% em setembro

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação da cesta de compras para famílias brasileiras com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,89% em setembro deste ano, taxa superior ao 0,55% observado em agosto. De acordo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-C1 acumula taxas de inflação de 3,13% no ano e de 4,54% em 12 meses.

As taxas de inflação do IPC-C1 ficaram acima daquelas medidas pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a variação das cestas de compras de todas as faixas de renda. O IPC-BR teve taxas de 0,82% em setembro e de 3,62% em 12 meses.

Leia também  FRAUDE | PF indicia Bivar por esquema de candidaturas laranjas no PSL

continua depois da Publicidade

Leia também

NOVO SISTEMA DE PAGAMENTO | Começa nesta segunda (05) o cadastro de clientes para o Pix

A alta da inflação de agosto para setembro do IPC-C1 foi puxada por três das oito classes de despesa, com destaque para alimentação (que subiu de 0,76% em agosto para 2,23% em setembro). As outras altas foram observadas nos grupos, educação, leitura e recreação (de 0,09% para 2,44%) e vestuário (de -0,42% para 0,12%).

Por outro lado, cinco grupos tiveram queda na taxa: saúde e cuidados pessoais (de 0,61% em agosto para 0,10% em setembro), despesas diversas (de 0,58% para 0,26%), habitação (de 0,61% para 0,54%), comunicação (de 0,12% para 0,04%) e transportes (de 0,68% para 0,61%).

Leia também  NOROESTE | Estrutura despenca de prédio em construção e deixa dois funcionários feridos em Brasília

(Agência Brasil)

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

ATÉ 30 DE OUTUBRO | Crianças menores de cinco anos devem ser vacinadas contra poliomielite

Read Next

ELEIÇÕES 2020 – Pábio Mossoró lidera pesquisa e Lêda Borges tem a maior rejeição entre os eleitores de Valparaíso (GO)