• 28 de janeiro de 2022

O FINO DA POLÍTICA | Ibaneis diz que Brasília só tem 3 deputados federais

Ibaneis pegou gosto pela política

Foto: Renato Alves/Ag. Brasília

Na solenidade de entrega da UPA de Planaltina, na última quarta (8), o governador do DF, Ibaneis Rocha, do MDB, fez um discurso digno de quem pegou gosto pela política. O chefe do Buriti aproveitou a ocasião para elogiar aliados e mandar recados para seus adversários. O emedebista que nunca tinha disputado um cargo público acabou aprendendo a fazer política no exercício do posto para o qual foi eleito. Ele destacou que não entrou para a vida pública por vaidade.

Grupo político unido

Entre os recados proferidos por Ibaneis, um dos que mais chamou atenção foi quando ele disse que naquele momento a população estava vendo não só um grupo de gestores, administradores, secretários e deputados, e sim um grupo que está unido em torno de um projeto político. “Aqui tem um grupo político que se juntou para fazer uma boa política para o Distrito Federal. Não tem ninguém chutando bola nas costas do outro”, pontuou.

Na bronca com cinco federais

Foto: Renato Alves/Ag. Brasília

Ibaneis criticou publicamente cinco dos oito deputados federais da bancada do DF no Congresso. Ele apontou que os cinco federais optaram em destinar emendas para projetos financiados pelo governo federal ao invés de projetos e programas desenvolvidos pelo GDF.

Leia também  EM BUSCA DE TÍTULO INÉDITO | Palmeiras estreia contra o Tigres-MEX no Mundial neste domingo (7)

Disfarçam que são de Brasília

O governador não hesitou em dizer que “quando você pega nossos deputados federais, só são três. Brasília não tem oito deputados, tem três. Flávia, Celina e Julio César. Os outros se disfarçam de deputado”.

“Se pegar as emendas que foram colocadas por eles este ano, eles preferiram colocar o dinheiro em obras federais e escolas federais, mas não colocaram para a população do Distrito Federal”, destacou Ibaneis.

Obras sem projetos

Ao falar das obras que seu governo vem realizando, Ibaneis Rocha enfatizou que sua gestão estava tirando do papel obras que tinham recursos, mas não havia projeto para poder executar o orçamento das emendas destinadas tanto pelos deputados como do governo federal.

O governador salientou que a prioridade é a área da saúde e elencou algumas obras que vem realizando no setor como a construção das sete UPAs, 21 unidades básicas de saúde, a UTI do Hospital de Planaltina, o Hospital Oncológico de Brasília, entre outros. Ibaneis observou que enfrentou uma batalha jurídica para conseguir manter os recursos destinados nas gestões passadas e que não foram utilizados.

Leia também  O jogo político continua o mesmo

Ordem do Mérito Legislativo

Foto: Divulgação/CLDF

Depois de um longo período sem outorgar a Medalha da Ordem do Mérito Legislativo do Distrito Federal, a Câmara Legislativa voltou a conceder a honraria para autoridades e personalidades diversas do DF. Entre os agraciados estavam o governador Ibaneis Rocha, a ministra e deputada Flávia Arruda e o vice-governador Paco Britto, que foram condecorados com o mais alto grau da Ordem. Outras autoridades como o secretário André Clemente, líderes religiosos, e membros do Judiciário receberam a medalha da CLDF.

Família do ex-governador Roriz quer voltar para a política

Foto: Divulgação/Ascom Dep. Flávia Arruda

Desde que o ex-governador Joaquim Roriz se foi em 2018 e diante do pífio desempenho eleitoral de seus herdeiros nas urnas nas últimas eleições, a movimentação e articulações de seus familiares estavam paradas. Com a aparição de dona Weslian e o neto no evento de filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL, muita gente passou a cogitar a volta dos Roriz para a política.

Para 2022, a família deve anunciar a candidatura de Joaquim Domingos Roriz Neto pelo PL. Tem gente que fala que é para deputado federal e tem outros que garantem que será a distrital. Por ora, a família Roriz só colocou a cara para fora, se vão conseguir voltar ao poder é outra história.

Leia também  O FINO DA POLÍTICA | Fique por dentro dos bastidores da política brasileira

Só depende dela

Foto: Divulgação/GDF

A secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani, deve se candidatar a um cargo no legislativo no próximo ano. Não se sabe se vai concorrer à Câmara dos Deputados ou Câmara Legislativa do DF. O secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, que é casado com Marcela, anda comentado por aí que a candidatura da esposa ‘só depende dela’.

Vai ter ação solidária nas outras RAs

Na semana passada, O Fino da Política informou que entidades que atuam em defesa das pessoas com deficiência questionavam a ação solidária realizada pela Secretaria de Pessoa com Deficiência do DF na cidade de Brazlândia a pedido do deputado distrital Iolando, do PSC, e as demais Ras haviam sido esquecidas. O pessoal da secretaria entrou em contato com a coluna e garantiu que o projeto será levado para as demais cidades do DF.

* José Fernando Vilela é editor-chefe e colunista deste portal. A coluna O Fino da Política é publicada todos os domingos.

José Fernando Vilela

É jornalista com especialização em Marketing Político e Eleitoral. É editor-chefe e colunista do Expressão Brasiliense. É o atual presidente da ABBP - Associação Brasileira de Portais de Notícias. Já trabalhou em diversos órgãos governamentais como a SES/DF, Sec. de Habitação do DF, Codhab/DF, entre outros. Assessorou parlamentares na CLDF, Câmara dos Deputados, Senado, além de partidos políticos.

Read Previous

SAMBA DE LUTO | Monarco da Portela morre aos 88 anos

Read Next

NA ÚLTIMA VOLTA | Verstappen ultrapassa Hamilton e conquista o título da F1