• 19 de abril de 2021

FLAGRADO COM DOIS CELULARES | Daniel Silveira não forneceu senha dos aparelhos apreendidos em sua cela

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) se recusou a fornecer a senha dos dois aparelhos celulares encontrados em sua cela na última quinta, 18. A apreensão dos aparelhos e a falta de cooperação do parlamentar constam em despacho do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que pede à Procuradoria-Geral da República nova manifestação sobre a prisão do aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Veja também

 

A PGR denunciou Silveira no inquérito dos atos antidemocráticos por ameaças contra ministros do STF divulgadas em vídeos nas redes sociais. Em outra investigação – sobre “fake news’ contra a Corte, a PGR sugeriu a aplicação de medidas restritivas alternativas à prisão, como a proibição de se aproximar das dependências do Supremo e uso de tornozeleira eletrônica.

Leia também  IBANEIS NAS RUAS | Governador faz blitz em São Sebastião e Paranoá para conferir obras e melhorias nas duas cidades

Na decisão desta terça, 23, Moraes lista episódios posteriores à prisão de Silveira, ocorrida na noite de terça, 16, e à denúncia da PGR protocolada no dia seguinte. Os casos envolvem a discussão com uma agente da Polícia Civil no Instituto Médico Legal (IML) do Rio, declarações do parlamentar a manifestantes na porta do Batalhão e a descoberta de dois aparelhos celulares na cela do deputado na Superintendência da Polícia Federal do Rio.

Leia também  Os bastidores da política em Brasília

“A realização de imediata perícia dos aparelhos apreendidos foi determinada, com solicitação de identificação dos proprietários dos “chips’, transcrição de todos os seus dados e remessa dos laudos para o presente inquérito”, apontou Moraes. “Segundo informações da Polícia Federal, o custodiado negou-se a fornecer as senhas de acesso aos aparelhos para a realização do trabalho da equipe de peritos”.

Leia também  FALTA DE VONTADE | MP que criou o ID Estudantil perde a validade por falta de interesse do Congresso

Segundo o ministro, a ocorrência de diversos episódios envolvendo Silveira após a apresentação da denúncia por parte da PGR pode “gerar reflexos na instrução processual penal’. Por conta disso, o ministro solicitou nova manifestação da Procuradoria, inclusive em relação ao pedido de liberdade provisória do deputado.

Matéria adaptada da Agência Estadão Conteúdo 

Foto: Reprodução Google Imagens 

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

TRABALHO EM CONJUNTO | DF e Goiás planejam novo fluxo regulatório de pacientes

Read Next

POR INICIATIVA DE JOÃO CARDOSO | Comissão da Vacina pede prioridade de imunização aos policiais civis do DF