• 24 de julho de 2021

76,2% A MENOS | DF registra quedas consecutivas nos casos de dengue

Os casos de dengue seguem em queda no Distrito Federal. Em 2021, até a semana epidemiológica 25, observou-se um decréscimo de 76,2% no número de casos prováveis quando comparado ao mesmo período do ano passado.

“São desenvolvidas ações preventivas de forma rotineira e que envolvem vários órgãos do governo atuando em parceria com a população”, José Carlos Natal, diretor de Vigilância Ambiental

O número de óbitos também apresentou redução no período. Até o momento, foram registrados sete óbitos, sendo três de moradores de Ceilândia e quatro de Planaltina.

O cenário mostra melhora em comparação ao ano passado, quando foram registrados 39 óbitos. Os dados foram divulgados no boletim epidemiológico semanal da Secretaria de Saúde.

Para o chefe da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), José Carlos Natal, os dados refletem o trabalho intensivo e colaborativo realizado ao longo do ano.

Leia também  O FINO DA POLÍTICA | Os bastidores da política brasileira

“São desenvolvidas ações preventivas de forma rotineira e que envolvem vários órgãos do governo atuando em parceria com a população”, explica.

São várias as frentes de combate ao mosquito, entre elas o tratamento focal com inseticidas e larvicidas, bloqueio focal, aplicação de inseticidas em territórios específicos e visitas domiciliares.

Natal destaca que mesmo com os casos em queda no Distrito Federal, é preciso manter a rotina de cuidados no combate aos vetores. “Devemos lembrar que, no âmbito das arboviroses, todo dia é dia D”, reforça lembrando que as ações devem ser contínuas e que o apoio da população é fundamental. “Pedimos que os cuidados sejam mantidos dentro e fora de casa, buscando evitar água parada e a proliferação do mosquito”, orienta.

Leia também  EXEMPLO PARA O PAÍS | Central de Transplantes do DF orienta alunos da PRF sobre doação de órgãos

Situação por região

A Região de Saúde Norte foi a que apresentou o maior número de casos prováveis (4.089) em relação ao total de casos do DF, seguida da região Leste (1.461) e da região Sudoeste (1.288). Juntas, as três regiões respondem por 69,7% dos casos prováveis no DF até o momento.

Já quando se analisa o número de casos por região administrativa, nota-se que Planaltina teve o maior número de casos prováveis (2.398); em segundo lugar aparece Sobradinho (1.030) e, em terceiro, Ceilândia (881).

Imóveis vistoriados

As equipes da Vigilância Ambiental visitaram um total de 700.597 imóveis de janeiro até junho.

Os objetivos da ação são tratar possíveis depósitos com acúmulo de água, instalar e monitorar armadilhas, realizar bloqueio focal e trabalho em pontos estratégicos, como depósitos de ferros velhos, borracharias, entre outros.

Leia também  O PICO CHEGOU! Médicos que estão à frente da batalha contra a covid 19 alertam que vamos iniciar uma semana muito difícil

O diretor da Dival ressalta a importância das equipes no trabalho de campo, fazendo as vistorias para combater possíveis focos do mosquito.

O trabalho da Vigilância Ambiental ocorre de maneira conjunta com a Vigilância Epidemiológica e por meio da Sala Distrital, composta por representantes de vários setores da sociedade, em que vários órgãos do GDF trabalham em conjunto nas ações contra a dengue.

Estão envolvidas as secretarias das Cidades, da Agricultura, da Educação, da Comunicação, da Casa Civil, Serviço de Limpeza Urbana (SLU), DF Legal, Novacap, Caesb, Corpo de Bombeiros Militar, Emater, Ibram, administrações regionais, entre outros.

(Agência Brasília)

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

expressaobrasiliense

Read Previous

O FINO DA POLÍTICA | Enquanto adversários batem cabeça, Ibaneis entrega obras e combate à Covid

Read Next

56 MIL PROFISSIONAIS IMUNIZADOS | Secretaria de Educação se prepara para a volta às aulas presenciais no dia 2 de agosto na rede pública