Políticos estão com receio do “Efeito Tocantins” nas eleições deste ano – Por José Fernando Vilela

A eleição suplementar para governador realizada, no último domingo (03), em Tocantins, confirmou a onda de insatisfação por parte da população com os atuais políticos. Dos 1.018.329 eleitores aptos a votar, apenas 711.452 (69,86%) compareceram às urnas. Desse total de votantes, 121.877 votaram nulo e 14.660 em branco. 306.877 deixaram de ir votar. Ou seja, 443.354 eleitores demonstraram que nenhum dos postulantes ao cargo merecia o seu voto. A soma das três opções nos revela que 43,5% dos eleitores tocantinenses não aprovaram os sete candidatos que participaram do pleito.

Com o recado dado pelos eleitores tocantinenses, a classe política está receosa com os reflexos e as consequências dessa onda que não é uma exclusividade apenas do Estado do Tocantins. Como se diz, do “Oiapoque ao Chuí” tem eleitor insatisfeito e pensando em escolher uma das três opções: votar em branco, votar nulo ou não ir votar e pagar a “taxinha insignificante” cobrada pela justiça eleitoral.

Se esse sentimento se espalhar pelo Brasil, o maior desafio das eleições deste ano, será convencer o eleitor a sair de casa ou se for até a urna que não vote em branco ou nulo. Portanto, quem quiser se eleger vai ter que apresentar propostas e projetos reais. Não vai poder aparentar que é uma coisa e ser outra. Nestas eleições, os candidatos terão que realmente ser o que diz que é e não ser uma farsa ou mais um produto lapidado por marqueteiros de plantão. Enfim, o “Efeito Tocantins” está deixando muito político de cabelo em pé.

ppJosé Fernando Vilela é blogueiro, jornalista, radialista, especialista em marketing digital e político, pai, marido e botafoguense.

Fotos: Google Imagens e Divulgação/Expressão Brasiliense

expressaobrasiliense

Read Previous

STF suspende a impressão do voto eletrônico

Read Next

Facebook diz que grupos chineses de tecnologia tiveram acesso a dados de usuários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.