• 19 de abril de 2021

COMBATE À GRILAGEM | Fiscais do GDF desarticulam ocupação irregular no Parque Ecológico Riacho Fundo

Equipe de auditores fiscais do Instituto Brasília Ambiental realizou, na manhã da quarta-feira (24), operação de fiscalização no Parque Ecológico Riacho Fundo, que resultou na demolição de quatro edificações de madeira, aterramentos de cisternas e retirada de três mil metros de cercas, além de dois basculantes de entulhos. Também participaram da operação a Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística-DF Legal, Caesb, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Terracap.

Veja também

680 VAGAS DE VISTORIAS DE VEÍCULOS | Detran-DF abre às 19h desta quarta (25) a agenda para o próximo sábado (28)

“Foi uma operação para coibir ocupações irregulares na Unidade de Conservação, que vem há algum tempo sendo vítima desse tipo de ação que causa perda de vários atributos ambientais”, explicou o auditor fiscal do Instituto, David Ferreira, garantindo que a ação não foi isolada e se repetirá.

Leia também  SIMULAÇÃO DE ACIDENTE | Detran-DF realiza ação educativa sobre a linha do trem no SIA

Relatórios

Operações de fiscalização ocorreram no local em 2019 e, também, neste ano. Relatórios sobre elas integram processo no Sistema Eletrônico de Informações (SEI). São relatórios que deixam claro que a permanência de edificações no parque contribui para a degradação dos recursos naturais existentes, como nascentes, fauna e flora. Dificulta, também, o processo de regeneração da área já desocupada na cabeceira do ribeirão Riacho Fundo, região de campo de murundus e área de recarga de aquífero.

Leia também  Máquinas trabalham nas ruas de Vicente Pires

O auditor explica que essas operações atendem à necessidade de desconstituição dessas ocupações irregulares, e têm o objetivo de combater, controlar e fiscalizar o uso do solo no interior desta importante UC.

Diversidade biológica

O Parque Ecológico Riacho Fundo foi criado pelo Decreto Lei 1.705/97 com o objetivo de garantir a diversidade biológica da fauna e flora locais, preservando patrimônio genético e a qualidade dos recursos hídricos disponíveis.

Leia também  Bruno Araújo assume PSDB e confirma força de Dória para 2022

A unidade abrange uma área de 480 hectares e possui estrutura de educação ambiental com sala de aula, galpão coberto e trilha ecológica. Parte do ribeirão Riacho Fundo, inclusive suas nascentes, situa-se no interior do parque. A área engloba grande extensão de mata, vegetação de Cerrado nativo, pastos e bosques de espécies exóticas.  Está aberta à comunidade das 8h às 12h e das 13h30 às 17h, com entrada franca.

(Agência Brasília)

Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

PREVISÃO PARA OS PRÓXIMOS DIAS | Calor e tempo seco no Centro-Oeste

Read Next

CONTABILIZAÇÃO DE VOTOS | TSE desmente informação que computador que apura a contagem dos votos é um serviço de nuvem