• 26 de novembro de 2020

GESTÃO | BRB irá administrar a Torre de TV

A Torre de TV, um dos principais pontos turísticos de Brasília, vai ganhar cara nova. Na manhã desta terça-feira (29), representantes das secretarias de Turismo (Setur) e de Projetos Especiais (Sepe) do GDF, da Novacap e do Banco de Brasília (BRB) assinaram um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para o desenvolvimento de projeto de revitalização do local e a criação do Corredor Cultural do Banco de Brasília (CCBRB).

O acordo transfere a gestão da Torre de TV, da fonte luminosa, da feira de artesanato e do Jardim Burle Marx ao BRB por 20 anos – prazo que poderá ser ampliado. O banco vai investir R$ 40 milhões na revitalização e valorização desses espaços.

“É um ato que revela nossa paixão por Brasília”, destaca o governador Ibaneis Rocha. “Temos muitos locais desta cidade que ficaram num estado de dificuldade. Vários monumentos abandonados, assim como nosso direito de sonhar. Nós vamos mudar isso e transformar Brasília na capital do turismo e da cultura. Essas parcerias vêm no intuito de ajudar a nossa cidade da melhor maneira possível.”

Um dos objetivos acordo é reativar o espaço turístico da Torre de TV, fechado há mais de quatro anos. A parceria prevê a construção de uma agência-modelo e de um museu para contar a história de Brasília.

Leia também  Abastecimento no DF deve normalizar até segunda, diz sindicato

“É um ato que revela nossa paixão por Brasília” Ibaneis Rocha, governador do DF

Referência turística

Projetada pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa e inaugurada em 1967, a Torre de TV teve como inspiração a Torre Eiffel, de Paris (França). Seu mirante, que  apresenta uma vista privilegiada, de Brasília voltará a ser referência para os turistas.

“Vamos construir um grande boulevard[caminho arborizado], permitindo que a população volte a frequentar a área”, adianta o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa. “Essa será uma das maiores marcas desta gestão, devolver um equipamento dessa envergadura para Brasília.”

Para a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, as obras citadas são de uma “importância cultural e logística para Brasília”. A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, reforça que, com o ato, o governador Ibaneis mostra que “está de mãos dadas com o passado e o futuro da cidade”. À Secretaria de Projetos Especiais  caberá atuar na coordenação e na fiscalização do cumprimento das metas estabelecidas no plano de trabalho.

Leia também  CONECTIVIDADE | Izalci comemora destinação de recursos do Fust para inclusão digital nas escolas e zona rural

Natal Monumental

Em parceria como a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), o GDF promoverá o Natal Monumental, com cenário lúdico e cheio de luzes ao redor da Torre. As festividades reforçam a importância do monumento e do Natal.

De 7 de dezembro deste ano a 6 de janeiro de 2020, uma megaestrutura estará montada ao lado da Torre de TV, no Eixo Monumental. Além de uma área dedicada à gastronomia, o local será palco de espetáculos como um concerto apresentado pela Orquestra Filarmônica de Brasília e atrações natalinas envolvendo bailarinos, cantores, músicos e atores. Melhor ainda: tudo gratuito.

Todas as noites, às 20h, serão ligados os equipamentos da iluminação que transformará a torre na maior árvore de Natal do Brasil. Na noite de estreia das luzes, 7 de dezembro, haverá um show pirotécnico de três minutos de duração.

Nova iluminação

Em junho, a Companhia Energética de Brasília (CEB) finalizou a instalação de luminárias LED na Feira da Torre de TV. Elabodada em parceria com a Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF), a  obra faz parte do projeto de revitalização para tornar o DF mais iluminado e seguro.

Leia também  Codhab convoca famílias com renda até R$ 1,8 mil para confirmação de inscrição

Foram substituídas 76 luminárias convencionais por equipamentos de LED e instalados 55 postes de aço com a mesma tecnologia de iluminação, totalizando 131 novos pontos. Esse tipo de equipamento, além de trazer mais luminosidade para o local, pode gerar uma economia de até 60% para o GDF, já que as luzes de LED possuem 60 mil horas de vida útil e perdem apenas 30% da capacidade quando atingem esse tempo, ao passo que as lâmpadas de vapor de sódio queimam quando atingem 32 mil horas. O valor investido pelo GDF na obra foi de R$ 469.412,69, montante que retornará aos cofres públicos com a economia de energia.

(Agência Brasília)

Avatar

Expressão Brasiliense

Read Previous

REFORÇO NO ORÇAMENTO | Senador Izalci Lucas pede apoio a projeto que garante R$ 9 bi para a educação

Read Next

INOVAÇÃO | Aplicativo Labute aproxima prestador de serviço e cliente