• 23 de fevereiro de 2024

O FINO DA POLÍTICA | Republicanos-DF se movimenta nos bastidores para minar candidatura de Celina ao Buriti

Republicanos-DF se movimenta nos bastidores para minar candidatura de Celina ao Buriti

Foto: Reprodução/Google Imagens

Assim como Jesus Cristo foi traído por Judas Iscariotes, o grupo político de Ibaneis e Celina pode ser traído pelo Republicanos do DF. O velho e conhecido modus operandi sorrateiro da legenda se movimentar nos bastidores já está em prática. A sigla criada pelo bispo Edir Macedo para defender os interesses de sua congregação e outros líderes do segmento evangélico sempre carregou a pecha de ser um partido de traidores, que atuam conforme lhes convém e não por convicções políticas e ideológicas. Aqui na capital federal, o Republicanos, capitaneado pelo presidente regional da legenda, Wanderley Tavares, vem trabalhando silenciosamente para minar a candidatura da vice-governadora do DF, Celina Leão, do PP, ao Buriti nas próximas eleições. A ideia é fazer com a leoa o que fizeram com a ex-ministra Flávia Arruda na disputa de 2022. O propósito é lançar uma candidatura que possa na reta final vencer Celina ou ir para um segundo turno. 

Apesar do partido ter uma composição política com o governo Ibaneis, que envolve secretarias, administrações regionais e outros cargos estratégicos dentro da estrutura do GDF, tem republicano agindo na surdina para criar uma chapa da direita sem Celina. O Buriti está monitorando as puladas de cercas e a qualquer momento, os ‘irmãos republicanos’ terão que se explicar. A pergunta que não quer calar dentro do governo: afinal de contas, de que lado eles estão? Se querem ser independentes que estejam preparados para perder os mais de 2 mil cargos ocupados por aliados da legenda. Ibaneis tem a fama de não perdoar traidores. Tem emedebista que sabe muito bem disso. Resta saber, se o Republicanos de Wanderley e companhia está disposto a pagar para ver. E agora, irmãos?

Fred Linhares atua com o ‘menino de recado’ da legenda

Foto: Divulgação/R7

Um dos que tem demonstrado que está alinhado com as estratégias do presidente Wanderley é o deputado federal de primeiro mandato, o apresentador Fred Linhares. O parlamentar tem atacado o governo Ibaneis veementemente em suas redes sociais e em suas aparições no rádio e TV. Ele tem se comportado, tanto em seu programa de rádio como no telejornal sensacionalista que apresenta na emissora do bispo, como ‘menino de recado’ do dirigente. O federal gosta de fazer fanfarrice com o microfone aberto ou diante das câmeras. No entanto, Fred Linhares mostrou que é um verdadeiro ‘duas caras’, termo utilizado para se referir a pessoas falsas e que escondem suas reais intenções. Ao mesmo tempo em que critica o GDF, o deputado é o responsável por indicar quase todos os cargos comissionados da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. O apresentador de TV está sendo usado e a credibilidade que conquistou ao longo dos anos, e que o levou a se eleger como o deputado federal mais bem votado do Republicanos nas eleições de 2022, está caindo por terra. Fred Linhares está tão convicto que está abafando que alguns de seus bajuladores vislumbram que ele se candidate ao GDF. Só que esse plano não está no script do presidente do Republicanos-DF. 

Militância petista sinaliza que prefere Reginaldo Veras no partido do que Leandro Grass

Foto: Divulgação/PV

Desde que o deputado federal Reginaldo Veras, do PV, anunciou que é pré-candidato ao governo do DF nas próximas eleições, um grupo de petistas da capital federal começou a se movimentar para trazer o parlamentar para a sigla. Reginaldo é considerado um esquerdista com posições moderadas e que podem despertar o interesse do eleitorado brasiliense. A investida desse grupo conta com o apoio de parte da militância petista. Nos bastidores, muitos ‘companheiros’ têm manifestado que preferem ter Reginaldo Veras na legenda, independente de concorrer ao Buriti em 2026 ou não, do que aceitar novamente de goela abaixo o ‘violeiro-fake’ Leandro Grass, candidato derrotado por Ibaneis nas eleições passadas. Veras é visto como mais carismático e não tem a fama de ser mentiroso como Grass. Tem gente engasgada com as promessas do atual presidente do Iphan que não foram cumpridas. 

Persona non grata no PT-DF

Foto: Divulgação/EBC

Segundo fontes do PT-DF, a ‘companheirada’ não gostou de ver o pior distrital que a Câmara Legislativa do DF já teve em toda a sua história, ser agraciado com um cargo de segundo escalão no governo Lula e ter visibilidade e projeção em todo o País. Outro ponto negativo que pesam contra ele é que Grass não deu abertura para que os ‘companheiros’ da capital pudessem ser acomodados na estrutura do órgão que ele comanda. Na época, Leandro Grass mandou avisar que os cargos eram do PV. Sendo assim, o presidente nacional do Iphan se tornou persona non grata no PT do DF.

Relatório da CPI da CLDF atendeu interesses diversos

Foto: Reprodução/Google Imagens

Após nove meses de trabalho, a CPI da CLDF criada para investigar os atos antidemocráticos dos dias 12 de dezembro de 2022 e 8 de janeiro deste ano apresentou o relatório final na última quarta-feira, dia 29 de novembro. O parecer do deputado Hermeto, do MDB, relator da CPI, foi criticado por deputados da esquerda e bolsonaristas. O distrital Fábio Félix, do PSol, quis apresentar um relatório paralelo, mas não conseguiu convencer os demais integrantes da CPI. Os bolsonaristas ainda tentaram retirar alguns nomes das lista de indiciados, como os empresários que são apontados como financiadores do acampamento, mas não obtiveram êxito. Os distritais chegaram a apreciar 15 destaques ao relatório final, porém, apenas um foi aprovado pelos integrantes da comissão. Ao todo, a CPI da CLDF apresentou uma lista com pedidos de indiciamentos com 135 nomes, que incluem oficiais da Polícia Militar do DF, servidores da Secretaria de Segurança Pública do DF e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, além dos supostos financiadores dos atos antidemocráticos.  Nos bastidores, os comentários dão conta que o relatório atendeu interesses diversos. 

PT interviu para livrar G. Dias 

Foto: Reprodução/Google Imagens

O único destaque ao relatório final aprovado refere-se à exclusão do nome do ex-ministro-chefe do GSI, general Gonçalves Dias, também conhecido como G. Dias, da lista de pedidos de indiciamentos. O militar constava no rol dos culpados pelos atos do dia 8 de janeiro. Entretanto, uma manobra articulada pela cúpula nacional do PT foi executada no decorrer da leitura do relatório e o nome do G. Dias foi apagado da lista. Distritais bolsonaristas foram às redes sociais reclamar. Eles alegaram que a medida não estava prevista no regimento da Casa, mas apresentaram um destaque para tentar salvar os dois empresários acusados de ‘financiar o golpe’. A deputada Paula Belmonte, do Cidadania, fez todo um jogo de cena. Ela deu piti, ameaçou, gritou, fez um barraco daqueles, mas não comoveu os demais colegas. A distrital ainda não aprendeu que na CLDF, ninguém ganha nada no grito. Quem mostrou força mesmo foi o PT, que não baixou a guarda e livrou G. Dias de constar na lista dos indiciados.

* José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral. Já  trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado) e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do Expressão Brasiliense, e é presidente da ABBP – Associação Brasileira de Portais de Notícias – desde 2021.

OBS: O conteúdo da coluna O Fino da Política é de uso exclusivo deste portal. É proibida a sua reprodução total ou parcial para fins jornalísticos, publicitários e quaisquer outras sem a devida autorização.

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais.

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp

José Fernando Vilela

José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral e trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado), partidos políticos, parlamentares e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do portal Expressão Brasiliense. É presidente da ABBP - Associação Brasileira de Portais de Notícias - desde 2021.

Read Previous

ALERTA MÁXIMO | Defesa Civil registra tremor em região ameaçada de desabamento em Maceió

Read Next

REVISÃO DO PDOT | Regularização fundiária das áreas rurais do DF será debatida na próxima quinta-feira (7)