• 18 de maio de 2021

O FINO DA POLÍTICA | Renan Calheiros tem a chance de dar um xeque-mate em Bolsonaro

Em Brasília, já não restam dúvidas que poucos políticos conhecem tão bem os meandros e artimanhas do Congresso Nacional brasileiro como o senador Renan Calheiros, do MDB de Alagoas. Desde 1995 que ele está no Senado Federal, casa a qual presidiu por duas vezes. Os servidores mais experientes dizem que nada passa pelo Senado sem o seu consentimento. O seu grupo político ocupa cargos estratégicos há um bom tempo, só muda a cara, mas o padrinho é o mesmo.

Veja também

DESCUMPRIU ACORDOS | Senadores dos EUA pede a Biden para não dar dinheiro para Bolsonaro

No começo da atual legislatura, o experimentado parlamentar quase se elegeu mais uma vez para presidir o Senado. Derrotado, soube se recolher e deu o bote na hora certa. Indicado pelo seu partido para integrar a CPI da Covid, Renan Calheiros será o relator da comissão conforme acordado com seus pares. O Planalto bem que tentou tirá-lo da função, mas, sem força, teve que engolir a seco a sua indicação.

Um dos problemas de Renan Calheiros é que ele é um aliado declarado do ex-presidente Lula e pode usar a CPI da Covid para sangrar o governo Bolsonaro, que já não anda tão bem das pernas no Congresso. Renan tem a chance de por o presidente Jair Bolsonaro em xeque-mate. Há aqueles que apostam que o senador alagoano vai abrir a porteira do processo de impeachment do capitão, basta ele apresentar as provas certas.

Como Renan Calheiros é um exímio jogador do xadrez político do parlamento brasileiro cada jogada será muito bem executada por ele e o rei, com certeza, ficará encurralado. Vamos aguardar para ver quem vai se sair melhor nesse jogo. Por enquanto, o relógio da competição está contando o tempo a favor de Renan. O próximo lance no tabuleiro será importante e decisivo.

 

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

VACINAÇÃO NO PARQUE DA CIDADE | Posto drive-thru vai funcionar no estacionamento 12 neste domingo (18)

Read Next

TROCA DE COMANDO | Toni Duarte renuncia ao cargo de presidente da ABBP