• 19 de julho de 2024

O FINO DA POLÍTICA | Greve dos professores foge do controle do Sinpro-DF por influência de líderes de partidos da extrema esquerda

Greve dos professores foge do controle do Sinpro-DF por influência de líderes de partidos da extrema esquerda 

Foto: Reprodução/Instagram

A greve dos professores da rede pública de ensino do DF foi deflagrada no dia 4 maio mais por incentivo de líderes de partidos da extrema esquerda, como PSTU e PCB, do que pelo convencimento dos dirigentes do Sinpro-DF. Segundo interlocutores de parlamentares que acompanharam a primeira assembleia que culminou com a greve, a grande maioria dos professores presentes foram influenciados a votar a favor da paralisação por estímulo dos esquerdistas radicais. Quem acompanhou a votação constatou que a cúpula do Sinpro-DF, cuja maioria é filiada ao PT, não teve como ignorar o desejo da maioria. Nos bastidores, muito se fala que a atual direção não exerce mais a mesma influência sobre a classe.

Categoria descrente com dirigentes 

Os professores demonstram que estão cansados de serem usados por dirigentes que mais se preocupam em tirar proveito e ganhar projeção política com o sindicato do que atuar em prol da categoria. Em 2022, a estrutura da entidade representativa foi utilizada para promover candidaturas.

Rosilene é vaiada em assembleia

Foto: Reprodução/Google Imagens

Uma das beneficiadas em 2022 foi a então diretora do Sinpro-DF, Rosilene Corrêa. Ela foi candidata ao Senado pela Federação PT-PV-PCdoB e perdeu feio. Na assembleia do dia 26 de maio, Rosilene, que ganhou a alcunha de ‘professorinha’ entre os militantes petistas, pagou o preço de ter sido beneficiada pela entidade nas eleições. A participação de Rosilene Corrêa ficou marcada pelas vaias da categoria. Muitos professores creditam à petista a culpa por não terem tido reajuste salarial nos últimos anos.

Negociações em andamento

Antes mesmo do início da greve, o GDF e a cúpula do Sinpro-DF vinham tentando chegar a um acordo que atendesse a ambos. No entanto, diante da baixa influência da atual direção do sindicato com a categoria, a paralisação foi aprovada. Com isso, as negociações, num primeiro instante foram suspensas, mas já foram retomadas e na próxima quarta-feira (17), o GDF e o Sinpro-DF se reúnem para tentar chegar a um acordo que atenda todas as partes. Até lá, cerca de 500 mil estudantes da rede pública de ensino seguem prejudicados.

Ex-distrital Rogério Ulysses divulga fake news sobre laboratório em São Sebastião

Foto: Reprodução/Instagram

O ex-distrital Rogério Ulysses, depois de ser absolvido pelo TJDFT, em setembro de 2022, na ação criminal sobre a participação dele na famosa Operação Caixa de Pandora, vem tentando se reposicionar no cenário político. Com o objetivo de voltar a conquistar apoiadores em seu reduto político, a cidade de São Sebastião, Rogério Ulysses divulgou que o laboratório que atende a população da RA iria fechar e que o povo ia passar a depender do Paranoá para fazer seus exames. O ex-parlamentar fez alarde nas redes sociais sem saber que a infraestrutura do laboratório de São Sebastião vai passar por uma reforma e que apenas a equipe que realiza o processamento dos exames vai atuar no Hospital da Região Leste (HRL). Diante do desserviço e da mentira propagada por Rogério Ulysses, o GDF divulgou que as coletas dos exames continuam sendo realizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) 1, 3 e 9 de São Sebastião e na UBS 1 do Mangueiral, e que o serviço prestado à população não foi interrompido. Tem gente em São Sebastião dizendo que Rogério desaprendeu a fazer política. Essa presepada toda só fez bem ao outro Rogério, o do Morro da Cruz, que está dominando a área e ampliando a sua base política em São Sebastião e nas regiões adjacentes.

Distritais esperam que militares colaborem com as investigações

Foto: Divulgação/Ag. CLDF

Há um clima de euforia e receio ao mesmo tempo com a ida dos generais à CPI da CLDF. No decorrer da semana, a coluna O Fino da Política conversou com distritais e com assessores sobre as oitivas dos militares. Alguns distritais esperam que os oficiais de alta patente se disponham a colaborar com as investigações e não se privem de falar a verdade. O primeiro a depor será o ex-responsável pelo Comando Militar do Planalto (CMP), general Gustavo Henrique Dutra, na próxima quinta-feira, dia 18 de maio.

Medo ou respeito pelo generais

Foto: Reprodução/Google Imagens

Na última reunião da CPI da CLDF, no dia 11 de maio, os distritais transformaram a convocação dos generais em convite. O presidente da CPI, deputado Chico Vigilante, do PT-DF, declarou à imprensa que a mudança foi um pedido do próprio Exército. A medida gerou um ti-ti-ti nos corredores da CLDF. Contudo, nos bastidores, as más línguas falam que os distritais não querem desagradar os generais. A pergunta que não quer calar nos corredores da CLDF é a seguinte: os deputados aceitaram trocar a convocação por convite por ter medo ou respeito pelos generais? 

PMDF comemora 214 anos em meio a crise causada pelos atos antidemocráticos

Foto: Divulgação/PMDF

Uma das instituições militares mais respeitadas do País, a Polícia Militar do DF (PMDF) completou 214 anos no último sábado, dia 13 maio, e devido aos atos antidemocráticos que ocorreram em Brasília nos dias 12 de dezembro de 2022 e 8 de janeiro deste ano, a corporação não tem muito o que comemorar em 2023. A imagem da PMDF ficou arranhada e hoje a instituição vive uma crise interna jamais vista nesses 214 anos de sua existência.

Disputa interna entre coronéis 

Entre as causas que levaram a PMDF a estar nessa situação de hoje, a principal é a disputa interna entre coronéis, que sempre existiu, porém, publicamente, a postura dos oficiais era outra. Digamos que a imagem que se vendia para fora dos quartéis e batalhões da PMDF é de que havia uma união no oficialato. Mas, uma suposta sabotagem no dia 8 de janeiro trouxe à tona a existência de uma disputa interna de poder político entre os coronéis. 

Paulo Henrique Costa diz que BRB só cresceu porque Ibaneis ordenou que acabasse com a influência política dentro do banco

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Durante um evento voltado para funcionários do BRB realizado na quinta (11), o presidente do banco, Paulo Henrique Costa, recebeu o governador do DF, Ibaneis Rocha, do MDB, que aproveitou a ocasião para agradecer aos colaboradores por todo o esforço empreendido por eles para resgatar a imagem e a credibilidade da instituição financeira. A participação de Ibaneis foi bem rápida. Assim que ele deixou o local, Paulo Henrique revelou aos funcionários da empresa que o único pedido que o governador lhe fez quando o convidou foi de que acabasse com a influência política dentro do BRB. 

“Em todos esses anos que tenho atuando como bancário, eu nunca vi um governante assim. Geralmente, um banco público tem outro viés, mas, o governador Ibaneis me fez essa recomendação e o resultado está aí. O BRB voltou a ter credibilidade e hoje ele atende a sociedade brasiliense como um todo e não apenas um pequeno grupo de privilegiados. Tem que ter coragem para fazer o que o governador fez”, enfatizou Paulo Henrique Costa.

Operando no mercado financeiro 

Além de solicitar que não permitisse que o banco sofresse influência política em suas transações comerciais, Ibaneis Rocha também pediu que era importante que o BRB voltasse a operar no mercado financeiro como um banco público com viés comercial. Atualmente, o BRB oferece serviços, produtos e linhas de créditos que causam inveja em muitos bancos privados. 

Colhendo os resultados

No DF, o banco é o líder no financiamento de imóveis pelo terceiro ano consecutivo e saltou de 600 mil clientes para mais de 7 milhões em todo o País, além de ter gerado lucro de mais de R$ 1,8 bilhão nos últimos quatro anos que foram investidos nas ações do GDF para socorrer as famílias mais carentes e o setor empresarial durante a pandemia da Covid-19. 

Feliz Dia das Mães

A coluna O Fino da Política parabeniza a todas as mães e que este dia seja repleto de paz e alegria.

* José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral e trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado) e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do portal Expressão Brasiliense. É presidente da ABBP – Associação Brasileira de Portais de Notícias – desde 2021.

OBS: O conteúdo da coluna O Fino da Política é de uso exclusivo deste portal. É proibida a sua reprodução total ou parcial para fins jornalísticos, publicitários e quaisquer outras sem a devida autorização.

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais.

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp.

José Fernando Vilela

José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral e trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado), partidos políticos, parlamentares e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do portal Expressão Brasiliense. É presidente da ABBP - Associação Brasileira de Portais de Notícias - desde 2021.

Read Previous

TÚNEL DE TAGUATINGA | Trânsito na marginal sul foi liberado neste sábado (13)

Read Next

CONSELHEIROS TUTELARES | Saiba quais são os critérios para se candidatar às 660 vagas