• 17 de julho de 2024

O FINO DA POLÍTICA | Flávia Peres (ex-Arruda) se muda de mala e cuia para a Bahia e deve ficar de fora das eleições do DF em 2026

Flávia Peres (ex-Arruda) se muda de mala e cuia para a Bahia e deve ficar de fora das eleições do DF em 2026

Foto: Divulgação/Pref. Municipal de Salvador

A ex-deputada federal e ex-ministra Flávia Peres (ex-Arruda) foi o centro das atenções do noticiário político brasiliense durante a semana que passou. Flávia anunciou seu casamento com o banqueiro baiano Augusto Lima, um dos donos do Banco Master. No fim do ano passado, o felizardo noivo criou uma ONG social, o Instituto Terra Firme, para que a ex-deputada pudesse atuar politicamente em solo baiano. A estratégia, aparentemente, agradou a classe política baiana, pois o lançamento da ONG contou com a presença do governador do estado, o petista Jerônimo Rodrigues, do prefeito de Salvador, Bruno Reis, que é do União, de autoridades e políticos da capital baiana, e do cantor Bell Marques, do Chiclete com Banana, banda que a agora esposa é fã declarada. Flávia e Augusto se casaram, no sábado (20), numa cerimônia íntima apenas para familiares e amigos, na Ilha dos Frades. 

Com a mudança, Flávia Peres deve estabelecer domicílio eleitoral em terras baianas e deixar de participar das eleições do DF em 2026. Em 2022, Flávia concorreu ao Senado Federal e perdeu para a colega de Esplanada, a senadora Damares Alves, do Republicanos, que contou com o apoio da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro. Com certeza, as ‘duas amigas’ bolsonaristas passaram longe da lista de convidados. Mas, há males que vêm para o bem. Por culpa de Damares e Michelle, Flávia mudou de ares e vai viver uma nova história. E vida que segue.

Apoiadores órfãos 

A ida de Flávia Peres para terras baianas gerou especulações nos bastidores da política brasiliense, já que toda uma rede de apoiadores formada por lideranças políticas e líderes comunitários, pertencentes ao ‘grupo Arruda’, deixará de ter alguém para seguir. O ex-governador José Roberto Arruda ainda possui alguns entraves judiciais que o impedem de disputar cargos eletivos. Portanto, deve ficar fora de 2026. Flávia vinha fazendo esse papel, até mesmo a contragosto dela, como ela mesma declarou no lançamento de sua campanha para deputada federal em 2018. Até 2026 tem muita coisa para acontecer. O caminho natural é que a maioria dos arrudistas se acomode em outros grupos e perca o vínculo. Os mais fiéis ficam por aí perambulando sonhando que os tempos de ouro um dia voltem.

TJDFT vai leiloar carro de Leila do Vôlei para quitar dívida com o PSB de seu ex-padrinho Rollemberg 

Foto: Reprodução/Facebook

Outro assunto que deu o que falar nos bastidores da política da capital federal foi a notícia de que o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) lançou edital para leiloar o carro da senadora Leila do Vôlei, do PDT, para quitar uma dívida que ela tem com o PSB, partido que ela se elegeu em 2018 ao Senado, apadrinhada pelo ex-governador Rodrigo Rollemberg. A sigla alegou que Leila deu o cano e a Justiça considerou que a senadora ficou devendo R$ 185,4 mil referente a contribuição partidária. Nos bastidores, fontes pessebistas sustentam que foi ‘o Rodrigo’, como Leila gostava de chamar o então governador quando estavam juntos no GDF, quem mandou cobrar a fatura da ex-pupila. Como a ex-jogadora de vôlei se recusava a pagar a dívida com a legenda, a Justiça penhorou um carro em seu nome, um Chevrolet Tracker, avaliado em R$ 70,3 mil, e o leilão eletrônico acontecerá no dia 5 de março, a partir das 14h10, pela internet, no site do Schmitz Leiloeiros Oficiais. Só falta ‘o Rodrigo’ ir lá e arrematar o veículo para passear pelas ruas de Brasília. 

Senadora diz que está sendo perseguida 

Em suas redes sociais, a senadora Leila manifestou que a ação judicial era uma ‘perseguição mesquinha e inoportuna, que serve apenas para fragmentar e não para unir’. A parlamentar criticou a sua ex-sigla e também o sistema partidário brasileiro. “O PSB não pode ser medido pelas figuras de seus dirigentes. Eles passam, as bandeiras ficam. Eu sei muito bem fazer a separação”, publicou a senadora. Leila afirmou que vai recorrer. Por ora, o leilão do carro da Leila está no ar.

Pezão em ação

Foto: Divulgação/Agência Brasília

Quem voltou de férias foi o secretário de Governo do DF, José Humberto Pires, o Pezão. Ele aproveitou a saída do chefe para descansar também. E no retorno, um dos primeiros compromissos foi verificar in loco na Vila Cauhy, no Núcleo Bandeirante, como estava o andamento das ações governamentais na região que foi uma das que mais sofreram no DF com os temporais dos primeiros dias deste mês. O secretário esteve acompanhado pelas equipes do GDF que estão envolvidas. Segundo Pezão, a região passará por intervenções emergenciais e estruturantes. Durante a visita, ele também conversou com moradores da Vila Cauhy e ressaltou o compromisso feito pela então governadora em exercício, Celina Leão, em nome do governador Ibaneis, de solucionar alguns problemas da região em caráter definitivo. “Estamos resolvendo o que é possível a curtíssimo prazo. O que for necessário ser feito para solucionar o problema causado pelo arrastamento da ponte será feito. No entanto, há soluções que são de médio e longo prazo, pois o rio e a água estão aí”, declarou Pezão.

Casos de dengue explodem no DF e em oito estados 

Foto: Fernando Frazão/Ag. Brasil

O aumento nos casos de dengue em todo o País tem sido alarmantes. O Ministério da Saúde divulgou um balanço com os dados estatísticos da doença nos estados. De acordo com a pasta, o DF e oito estados estão passando por um período de explosão de casos de dengue. Aqui na capital federal, o aumento foi de 435%, conforme divulgou o GDF na entrevista coletiva realizada na quinta (18). O estado que possui a mais alta incidência de casos de dengue é o Rio Grande do Sul que é de 1.538%. Em segundo no ranking aparece Santa Catarina com alta de 1.465% e, em terceiro, está Roraima com 1.100%. Conforme o MS, o DF figura como a sexta unidade da federação com maior registro de casos de dengue.

GDF age para conter crescimento da doença 

Foto: Renato Alves/Ag, Brasília

Para enfrentar a dengue, o GDF adotou uma série de novas medidas, além das que já estavam em curso. Foi ampliado o horário de atendimento noturno de 14 unidades básicas de saúde, as UBSs, para atender pessoas sintomáticas. Nas regiões administrativas mais críticas, além das UBSs, quem estiver com os sintomas pode procurar a tenda de acolhimento que foi montada na Administração Regional. Segundo a secretária de Saúde do DF, doutora Lucilene Florêncio, todas as UBSs da rede estão preparadas para atender a população. Além de profissionais da Secretaria de Saúde, bombeiros militares e outros servidores do GDF estão visitando residências e áreas comerciais para verificar possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti e orientar a população com os cuidados preventivos contra a doença. O governador Ibaneis participou do “Dia D” de combate à dengue em Samambaia no sábado (20).

Ajuda para o Entorno 

Foto: Jhonatan Cantarelle/Ag. Saúde-DF

Além de realizar ações de enfrentamento à dengue em terras brasilienses, a Secretaria de Saúde do DF se reuniu com representantes da mesma pasta em Goiás para estabelecer ações na região do Entorno. As cidades que mais preocupam são Águas Lindas e Valparaíso. As duas estão entre as que têm a maior incidência de registro da doença na região do Entorno. 

6 anos de Expressão Brasiliense

E há exatos seis anos demos início a este projeto, o Expressão Brasiliense. Nascemos como blog e fomos crescendo. Hoje, somos um portal de notícias que ultrapassa a marca de 5 milhões de visualizações mensais. Em 2023, o Expressão Brasiliense teve mais de 46 milhões de acessos, sem contar as nossas redes sociais. Com o portal, outros projetos também alçaram voos mais altos como esta coluna, O Fino da Política, a qual tenho a honra de me dirigir a você para trazer análises, leituras e informações sobre o cenário político brasiliense e também do Brasil. Além da coluna, veio o nosso podcast, o Café Expressão, onde passamos a entrevistar parlamentares, políticos, artistas, representantes de entidades, empresários e profissionais liberais. Para este ano, teremos mais novidades. Em nome do Expressão Brasiliense, este colunista agradece a todos que apoiaram e acreditaram no nosso projeto. Trabalhar como jornalista, em especial como redator ou criador de conteúdo como chamam agora, tem que ter paixão pelo que faz, faro para identificar e produzir bons materiais, ter fontes que tenham informações verdadeiras e confiáveis e sabedoria para não ir além do que cabe ao profissional informar o leitor. E que venham muitos anos mais!     

* José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral. Já trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado) e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do Expressão Brasiliense, e é presidente da ABBP – Associação Brasileira de Portais de Notícias – desde 2021.

OBS: O conteúdo da coluna O Fino da Política é de uso exclusivo deste portal e de outros que foram expressamente autorizados. É proibida a sua reprodução total ou parcial para fins jornalísticos, publicitários e quaisquer outras sem a devida autorização.

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais.

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp

José Fernando Vilela

José Fernando Vilela é jornalista com especialização em marketing político e eleitoral e trabalhou em diversos órgãos públicos (GDF/CLDF/Câmara/Senado), partidos políticos, parlamentares e iniciativa privada. É editor-chefe, analista político e colunista do portal Expressão Brasiliense. É presidente da ABBP - Associação Brasileira de Portais de Notícias - desde 2021.

Read Previous

MEGA-SENA | Ninguém acerta as seis dezenas e próximo concurso pagará prêmio de R$ 38 milhões

Read Next

PROGRAMA HABITACIONAL | Em 2023, GDF realizou o sonho da casa própria de mais de 8 mil pessoas