Governo do DF dá diploma de curso de 40 horas após apenas 1 dia de aula

Um curso de capacitação vinculado ao Governo do Distrito Federal oferece diplomas após 40 horas de aula, mas alunos conseguem se formar após apenas uma aula de 2 horas e meia – e receber certificação pelas lições não assistidas.

Após a divulgação do caso, a Secretaria do Trabalho do DF informou que vai apurar o caso e exonerar o servidor responsável pelo curso. A pasta também prometeu abrir uma comissão de verificação de todos os cursos do programa.

A TV Globo se matriculou no curso de cuidador de idoso organizado pela Fábrica Social, centro ligado à secretaria, e comprovou a “rapidez” na emissão do certificado. Bastou apenas uma aula para receber um diploma no qual consta que o curso durou de 13 a 26 de março.

Na única aula acompanhada pela reportagem, o professor pediu apenas para que os alunos copiassem textos do “Manual para cuidadores informais de idosos” e depois fez a leitura em voz alta para a turma. O material usado em sala é um manual de 2005 da prefeitura municipal de Campinas (SP).

Três semanas depois, a Fábrica Social emitiu o certificado que traz no verso o conteúdo do curso e é assinado pelo coordenador pedagógico, Paulo Cunha, e pelo então subsecretario de Integração de Ações Sociais, Virgílio Neto, que deixou o cargo na última sexta-feira (6) para concorrer a uma vaga na Câmara Legislativa.

Exigências descumpridas

Quem pretende participar do processo seletivo dos cursos da Fábrica Social precisa estar inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal, residir no DF, ter renda familiar per capita mensal de R$ 170, idade mínima de 16 anos e não ter participado de nenhum curso ofertado pela Fábrica.

Apesar de todas as exigências, a reportagem não precisou comprovar nenhuma informação nem apresentar algum documento para ter acesso às aulas e ao diploma.

Segundo a Secretaria de Trabalho do DF, responsável pela administração da Fábrica Social, o centro oferece seis cursos com até três semanas de aula: agente de portaria; automaquilagem; cuidador de idosos; designer de sobrancelhas; merendeira; e montagem e manutenção de cadeira de rodas.

Em 2018, a Fábrica Social disse ter formado 1.453 profissionais nos cursos ofertados na categoria curta duração.

Veja a íntegra da nota enviada pelo governo ao G1 e à TV Globo:

“A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, SEDESTMIDH, informa:

Os cursos de curta duração realizados na Fábrica Social são abertos à população em geral independente da renda per capita; são gratuitos, permitindo a capacitação ao público que busca a profissionalização na Fábrica Social.

Portanto, os candidatos a esses cursos não precisam estar inscritos no Cadastro Único e responder às exigências de perfil de vulnerabilidade social. O Cuidador de Idosos foi o último curso de curta duração oferecido pela Fábrica Social.

Feito esse esclarecimento inicial informamos que serão adotadas as seguintes providências:

1 – Exoneração a partir desta data do servidor que foi o Instrutor do Curso de Cuidador do Idosos, mostrado na reportagem;

2 – Abertura de sindicância administrativa para apurar os fatos e os envolvidos, pois é de extrema importância a transparência e o rigor na concessão dos certificados profissionais;

3 – Criação imediata de comissão de avaliação e inspeção de todos os cursos oferecidos pela Fábrica Social;

4 – Encaminhamento dos fatos para a apuração da Controladoria Geral do Distrito Federal.”

Matéria do site G1/DF

Foto: Divulgação/G1-DF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s