• 25 de outubro de 2020

BELO EXEMPLO, MR. TRUMP | Presidente norte-americano praticamente não pagou impostos nas últimas duas décadas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, praticamente não pagou imposto de renda durante pelo menos dez anos nas últimas duas décadas, revelou o jornal The New York Times neste domingo (27/09). Em 2016, por exemplo, ano em que foi eleito, o magnata desembolsou apenas 750 dólares em taxas. No ano seguinte, seu primeiro à frente da Casa Branca, desembolsou a mesma quantia.

LEIA MAIS

DEPOIS DE 3 DE NOVEMBRO | Google vai barrar anúncios de propaganda eleitoral

A revelação joga luz sobre um aspecto obscuro da trajetória de Trump, a pouco mais de um mês das eleições. Trump é o único presidente da história recente americana que não tornou públicas suas declarações fiscais.

O histórico do imposto de renda de Trump está no centro de uma batalha jurídica entre a Casa Branca e o Congresso – responsável por supervisionar essas informações. Desde 2016, o então candidato e agora presidente leva à Justiça todos aqueles que tentam ter acesso às suas declarações.

Leia também  COMBATE À COVID | Bolsonaro edita medidas para manter redução de tributos de medicamentos e produtos usados contra o coronavírus

“Trump não pagou nenhum imposto sobre rendimentos em dez dos 15 anos anteriores [a 2016], em grande parte porque reportou [às autoridades fiscais] ter perdido mais dinheiro do que ganhou”, escreveu o New York Times.

Segundo o jornal, as declarações de imposto de Trump contam uma história diferente da que ele vendeu ao povo americano. Seus relatórios para o fisco retratam um empresário que recebe centenas de milhões de dólares por ano e ainda assim acumula perdas crônicas, usadas por ele, por sua vez, para evitar o pagamento de impostos.

Agora, continua o diário, seus desafios financeiros estão crescendo. E os registros mostram que ele depende cada vez mais de fazer dinheiro com empresas que o colocam em potencial e muitas vezes em conflito direto de interesses com seu trabalho como presidente.

A revelação faz parte da primeira reportagem de uma série prometida pelo jornal nova-iorquino. O New York Times obteve informações fiscais relativas a mais de 20 anos de Trump e das centenas de empresas que compõem o seu conglomerado

Leia também  Bolsonaro nega interferência na PF e espera arquivamento de inquérito

Isso inclui informações detalhadas sobre os seus dois primeiros anos de mandato. As suas declarações de rendimentos de 2018 ou 2019, porém, não estão inseridas neste primeiro texto, segundo os autores da investigação, que prometem mais revelações nos próximos dias.

Em pronunciamento à imprensa ainda no domingo, Trump rejeitou as revelações do jornal e classificou o trabalho dos repórteres como “fake news”. Sem dar detalhes, ele garantiu ter pago impostos no período abordado pela reportagem.

O presidente americano prometeu que as informações sobre os seus impostos “serão todas reveladas”, mas não deu data para isso. Em 2016, ele havia prometido o mesmo durante a campanha, sem nunca ter cumprido.

Desde 1970, todos os antecessores de Trump divulgaram suas declarações fiscais. A falta de transparência do atual presidente alimenta especulação sobre a real extensão da sua fortuna ou potenciais conflitos de interesses.

Leia também  PROVOCAÇÃO | Em meio a tensão com os EUA, Irã revela novo míssil

“Essas revelações mostram por que os cidadãos quererem conhecer as finanças do seu presidente: os negócios de Trump parecem ter se beneficiado da sua posição, e suas ‘holdings’ abrangentes criaram potenciais conflitos entre os seus interesses financeiros e os interesses diplomáticos da nação”, escreveu, em editorial, Dean Baquet, diretor-executivo do jornal.

A divulgação da investigação do New York Times ocorreu dois dias antes de Trump e o democrata Joe Biden se enfrentarem no primeiro debate antes das eleições presidenciais, marcadas para 3 de novembro.

(Agência DW – Deustche Welle)

Foto: Getty Images | Brendan Smialowski

Avatar

expressaobrasiliense

Read Previous

MERCADO FINANCEIRO | Com o dólar e preços de produtos instáveis, projeção da inflação deste ano sobe para 2,05%

Read Next

REFERÊNCIA DURANTE A PANDEMIA | Pábio Mossoró investe no combate ao coronavírus e lança campanha à reeleição