• 19 de julho de 2024

MAL AVALIADO E SEM FORÇA | Pábio Mossoró fecha aliança com ex-adversário com medo de ser abatido por Lêda Borges em 2024

Bateu o desespero no prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró, do MDB. Mal avaliado pela população valparaisense, o gestor municipal tem se movimentando para recompor sua base política com o objetivo de não ser abatido em 2024 pela deputada federal, Lêda Borges, do PSDB, sua ex-madrinha e principal opositora.

A mais recente jogada de Mossoró foi dar espaço para o ex-vereador Afrânio Pimentel, do PP, em seu governo. Ele nomeou o ex-adversário para comandar a Secretaria de Articulação Institucional. Os dois agora são melhores amigos.

É bom lembrar que Pábio e Afrânio já se enfrentaram nas urnas. O embate foi em 2016 e Mossoró levou a melhor. Na época, o agora secretário do prefeito atacou o atual chefe com muita truculência e vice-versa. De lá para cá, Afrânio Pimentel fez uma oposição ferrenha e sempre foi um crítico costumaz da mal avaliada administração de Pábio Mossoró.

A nomeação de Afrânio Pimentel causou um grande ti-ti-ti na cidade, principalmente entre os aliados mais fiéis de Mossoró. Muitos questionaram a sua chegada e não gostaram de ver o ex-adversário passando a integrar o primeiro escalão do grupo como se nada tivesse feito.

Nas duas disputas anteriores, o novo pupilo de Pábio fazia parte do grupo da deputada Lêda Borges. No meio político, muita gente atribui a Afrânio a fama de ser a laranja podre do cesto.

Outro ponto negativo do mais novo secretário municipal de Valparaíso é que ele é um fardo muito pesado para qualquer político carregar, ainda mais para Mossoró que está queimado na praça.

Na verdade, Pábio Mossoró fez um grande favor para Lêda Borges e seu grupo ao cooptar Afrânio Pimentel. Ninguém do lado da tucana vai precisar dizer ao ex-vereador que ele não é mais bem-vindo.

Como não pode concorrer à reeleição, o atual prefeito vai trabalhar para eleger o seu sucessor ou sucessora em 2024 a qualquer custo. Entre seus aliados já há ao menos quatro pré-candidatos. 

Pábio sabe que numa eventual derrota de seu grupo político no ano que vem, ele certamente estará liquidado e sem força para tentar concorrer a um cargo eletivo em 2026.

O ex-motorista da Secretaria de Saúde corre contra o tempo para tentar salvar a sua pele. Para piorar a sua situação, Lêda Borges entrou para a base do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do União Brasil, e ambos já falam em aliança para 2024. Ou seja, no ano que vem Lêda e Caiado marcharão juntos e Mossoró será empurrado ladeira abaixo.

A culpa de toda essa derrocada é do próprio Pábio Mossoró. No decorrer de seus dois mandatos, o prefeito deixou de cumprir promessas e honrar acordos. As atitudes de Mossoró falam por si só. 

Há uma frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche que diz que “devemos ter uma boa memória para sermos capazes de cumprir as promessas que fazemos”. Como Pábio Mossoró esqueceu do seu povo, o povo, com certeza, não se esquecerá dele em 2024 e o prefeito vai colher os frutos de sua péssima gestão.

Foto: Reprodução/Google Imagens

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais.

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp.

Expressão Brasiliense

Read Previous

REFERÊNCIA EM PESQUISAS | Flávio Cadegiani é inocentado em processos nos CRMs do Amazonas e Rio Grande do Sul

Read Next

TRABALHO EFICIENTE | GDF executa serviço antes do prazo e Ponte Honestino Guimarães já está liberada