NA RAÇA | Brasil reage com três gols no segundo tempo, vence a França e vai à final do Mundial Sub-17

O que esperar de um confronto entre as duas melhores seleções do torneio? Gols. Emoção. No caso do Brasil, uma reação incrível. Que valeu a vaga na final do Mundial Sub-17. Após sair perdendo da França por 2 a 0 no primeiro tempo, a seleção brasileira buscou a virada no segundo tempo, com gols de Kaio Jorge, Veron e, aos 43 minutos, Lázaro.

A vitória diante de 13 mil torcedores no Bezerrão levou a seleção para sua sexta decisão na história do torneio. O Brasil vai enfrentar o México em busca do tetracampeonato na final de domingo, às 19h (horário de Brasília), também no Bezerrão.

A estratégia do Brasil era pressionar nos primeiros minutos. Mas quem conseguiu colocar tal tática em prática foi a França. Aos seis minutos, Adil Aouchiche deu lindo passe para Kalimuendo pela esquerda, e ele tocou na saída de Donelli. Foi a sétima assistência do camisa 10 francês no torneio. Pouco depois, Mbuku fez um carnaval no lado esquerdo, direito da defesa brasileira. Passou fácil por Daniel Cabral e Henri e finalizou bem: 2 a 0. A seleção reagiu. Criou boa chance com Veron, se manteve no ataque e teria chance de empatar no fim da primeira etapa. Teria. Yan sofreu pênalti, mas, após revisão no VAR, o árbitro salvadorenho Ivan Barton anulou a decisão.

O Brasil não se abateu. Reagiu bem na segunda etapa, embora tenha tomado um susto com um chute de Kalimuendo. A França preferiu jogar compactada, deu a bola para a seleção brasileira, que insistiu. E conseguiu diminuir. Aos 16 minutos, Henri escorou após escanteio, e Kaio Jorge empurrou para o gol. Guilherme Dalla Déa lançou Lázaro na vaga de Diego Rosa, colocou Yan na ponta, e a pressão continuou enorme. E surtiu efeito. Aos 30, Daniel Cabral conseguiu salvar bola quase impossível na esquerda, cruzou, Veron ficou com a sobra e empatou: 2 a 2.

FESTA BRASILEIRA NO FIM

Anulado o gol de Matsima, bola no chão para o Brasil cobrar o impedimento. O goleiro Matheus Donelli deu um chutão para a frente, a bola quicou no campo de ataque, a defesa francesa bobeou, Lázaro dominou na entrada da área, girou na frente da marcação e chutou forte, sem chance para o goleiro Zinga.

(G1)

expressaobrasiliense

Read Previous

INOVAÇÃO | Como o WhatsApp ajuda a reduzir a criminalidade

Read Next

DESENVOLVIMENTO | Brasil entrega presidência do Brics e destaca trabalho em inovação

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.