• 25 de fevereiro de 2024

MEDIDA ESSENCIAL | Turismo do DF clama pela manutenção do Programa Especial de Retomada do Setor de Eventos (Perse)

Na manhã de terça-feira (6), o secretário de Turismo do Distrito Federal, Cristiano Araújo, juntamente com os membros do Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Condetur-DF), representado pelo seu Presidente e por todos os seus integrantes, entregou uma carta aos deputados da bancada no Congresso expressando apoio à permanência do Programa Especial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE).

O PERSE, regido pelas Leis 14.148/21 e 14.592/23, foi uma medida essencial implementada para amenizar os efeitos devastadores da Pandemia de COVID-19 no setor de Turismo. Sua principal medida, a concessão de alíquota zero de tributos federais (IRPJ, CSLL, PIS e Cofins) por um período de cinco anos, foi um alento para um setor duramente atingido pelas restrições e paralisações impostas pela crise sanitária.

No entanto, a Medida Provisória 1.202/23 veio revogar os benefícios do PERSE, impondo aos beneficiários o pagamento da CSLL, PIS e Cofins a partir de abril de 2024, e do IRPJ a partir de janeiro de 2025. Tal medida, além de levantar discussões sobre sua constitucionalidade e legalidade, lança o setor de Turismo em um cenário de incertezas e instabilidade.

O secretário de Turismo do DF, Cristiano Araújo, comenta o impacto negativo dessa decisão: “O setor de Turismo, vital para a economia nacional, verá comprometido seu planejamento contábil, financeiro e tributário, o que poderá resultar no fechamento de estabelecimentos, na retração de investimentos e em graves danos à recuperação e credibilidade do setor”, afirma o secretário.

Os membros do conselho destacaram que o Turismo é um dos maiores geradores de empregos diretos e indiretos no país. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), os setores mais beneficiados pelo PERSE, como Arte, Cultura, Esporte e Recreação, e Alojamento e Alimentação, foram responsáveis por um significativo aumento de empregos, contribuindo para uma variação positiva de 34% na média nacional de emprego. A renegociação de dívidas prevista na Lei do PERSE resultou em 18 bilhões de reais em receitas tributárias, enquanto o aumento na arrecadação de ISS no DF, reflexo da ampliação das atividades do segmento, saltou de R$ 7 milhões em 2018 para R$ 35 milhões em 2023.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Distrito Federal (Abih-DF), Henrique Severien, reforça a união do setor turístico do DF para a permanência da medida. “Acho que nós estamos fazendo nosso dever de casa, trazendo para a mesa todos os assuntos que são importantes e devem ser considerados antes de uma tomada de decisão como essa que foi proposta pelo Governo Federal”, conclui Henrique.

Estiveram presentes na entrega da carta os deputados federais Júlio César, Reginaldo Veras e Rafael Prudente que é coordenador da bancada do DF no Congresso Nacional. Rafael, demonstrou total apoio à causa do setor. “Vamos trabalhar para que essa solicitação dos representantes dos setores de turismo e eventos possa validar a permanência do PERSE, pois a economia da cidade depende do bom funcionamento dessas atividades”, finaliza o deputado.

Foto: Divulgação/Setur-DF

Acompanhe o Expressão Brasiliense pelas redes sociais.

Dá um like para o #expressaobrasiliense na fanpage do Facebook. 

Siga o #expressaobrasiliense no Instagram.

Inscreva-se na TV Expressão, o nosso canal do YouTube.

Receba as notícias do Expressão Brasiliense pelo Whatsapp.

Expressão Brasiliense

Read Previous

AVENIDA HÉLIO PRATES | Mesmo com período de chuvas, obras têm cronograma redefinido e avançam em outras frentes

Read Next

COMBATE À DENGUE | GDF diz que 194 mil doses da vacina contra a doença serão encaminhadas pelo MS e anuncia a instalação de novas tendas