• 26 de maio de 2024

Futuros policiais militares reivindicam que GDF convoque 1.000 aprovados para curso de formação em maio

 Na atual era digital, onde cada vez mais o ser humano vem se distanciando do convívio presencial com seu próximo, gestos de cidadania e solidariedade, como doar sangue a exemplo do que foi organizado pela comissão de aprovados no último concurso realizado pela Polícia Militar do DF, neste sábado (30), no Hemocentro, reforça o sentimento que cabe a cada um de nós contribuir para um mundo melhor.

Os futuros policiais militares realizaram a ação social com o intuito de sensibilizar o governador Ibaneis Rocha (MDB) a convocar 1.000 aprovados para fazer o curso de formação da corporação, previsto para o mês de maio. Com a proposta da reforma da previdência, em especial a dos militares, muitos PMs resolveram se antecipar e solicitar a aposentadoria. O receio da tropa é que com a proposta enviada ao Congresso Nacional aprovadas, as perdas sejam irreparáveis e eles não consigam ter condições de viver uma velhice digna e ter o descanso merecido. 

Publicidade

O último levantamento divulgado pelo próprio governador Ibaneis Rocha (MDB) revela que o DF, atualmente, possui um déficit de mais de 8 mil policiais militares. Entidades representativas dos PMs temem que esse quadro piore e o serviço prestado à população fique completamente aquém do esperado. A Lei Federal nº 12.086/2009 estabelece que o mínimo de policiais militares na ativa seja de 18,6 mil. Ou seja, temos apenas um pouco mais de 10 mil PMs na corporação.

Aprovados no último concurso da PMDF doando sangue no Hemocentro.

É por isso que esses aprovados no concurso estão se mobilizando para que a quantidade de convocados para o curso de formação seja de pelo menos 1.000 pessoas. O representante da comissão de aprovados, Leonardo Urcini, destaca que está na hora do GDF agir. “Estamos preocupados com essa situação. O governador Ibaneis Rocha tem que ser coerente no sentido de chamar aos menos 1.000 aprovados no último concurso para fazer o curso. Quem passou no certame está ansioso para contribuir com a sociedade”, ressalta Urcini.

Se os pedidos de baixa continuarem a crescer, é possível que mesmo convocando um bom número de aprovados, a PMDF continue com o seu quadro abaixo do que é previsto pela lei. Os policiais militares são os responsáveis por fazer a segurança ostensiva. Os PMs que atuam diretamente nas ruas, de acordo com as entidades representativas, sofrem com transtornos físicos e psicológicos devido ao desgaste das atividades realizadas, e se aposentam antes do tempo previsto de atuação. 

Da Redação com informações do Portal Metrópoles

Fotos: Reprodução do Instagram 

Expressão Brasiliense

Read Previous

Câmara prepara “pacote de maldades” para pressionar governo Bolsonaro

Read Next

GDF cria comitê de combate a invasões e ocupações irregulares no DF