BRB cresce 70% no segundo trimestre de 2019 em relação a 2018

Ampliação do crédito e de serviços, além controle de gastos, são os destaques.

O Banco de Brasília (BRB) alcançou lucro líquido de R$ 95,3 milhões no segundo trimestre de 2019, crescimento de 69,7% em relação ao mesmo período de 2018, com retorno sobre o patrimônio líquido médio de 19,0%. No semestre, o lucro líquido foi de R$ 160,9 milhões, evolução de 18,9% quando comparado ao mesmo período do ano passado.

O aumento no lucro líquido foi gerado pelo aumento da margem financeira, pela recuperação de créditos inadimplentes, pelo avanço das receitas com tarifas e prestação de serviços, e pelo controle das despesas com pessoal e administrativas.

Segundo o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, “os resultados alcançados no primeiro semestre refletem a energia e o compromisso de toda a equipe do BRB, a mudança no direcionamento estratégico e a ampliação do relacionamento com os clientes. O BRB aumentou seu impacto no desenvolvimento econômico do DF e voltou a crescer. Sinal de novos tempos”.

A carteira de crédito ampla chegou a R$ 9,6 bilhões e apresentou crescimento de 5,2% em 12 meses e de 3,9% no trimestre. O principal destaque foi o crédito consignado, cujo saldo alcançou R$ 5,2 bilhões com evolução de 14,1% em 12 meses e de 5,0% no trimestre. Também merecem destaque as operações de crédito rural, que encerraram o semestre com saldo de R$ 248 milhões e evolução de 4,8% em 12 meses e de 16,2% no trimestre.

No primeiro semestre de 2019, foram contratadas cerca de R$ 1,9 bilhão em operações de crédito, um crescimento de 73,5% comparado ao mesmo período do ano passado. No segundo trimestre de 2019, o montante contratado foi de R$ 1,2 bilhão, avanço de 143,9% se comparado com o segundo trimestre de 2018.

As despesas com provisão para devedores duvidosos foram de R$ 6 milhões no trimestre e R$ 61 milhões no semestre, com quedas de 90,2% e 35,1% em relação aos mesmos períodos do ano de 2018. A redução na despesa decorreu da recuperação de créditos inadimplentes.

Inadimplência

A inadimplência encerrou o primeiro semestre de 2019 em 2,0% com queda de 0,6 p.p. em relação a março de 2019 e estável em relação a junho de 2018, e permanece abaixo da média de mercado, de 2,9%. Os ratings de menor risco, AA-C, aumentaram a sua participação na carteira para 93,8% em junho, ante 92,7% em março e 91,6% em junho de 2018.

As receitas com prestação de serviços e tarifas alcançaram R$ 97,2 milhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 8,6% ante o mesmo período de 2018 e de 8,5% no trimestre. No semestre, essas receitas chegaram a R$ 186,8 milhões e evolução de 3,7%, quando comparadas ao primeiro semestre de 2018. Merecem destaque as receitas com corretagem de seguros e intercâmbio, que cresceram, respectivamente, 36,6% e 15,4% em relação ao segundo trimestre de 2018 e 22,9% e 11,9% na comparação semestral.

Controle de despesas

O controle das despesas foi fundamental para a evolução do lucro líquido do BRB. Os gastos com pessoal apresentaram crescimento de 2,1% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018, e de 3,8% na comparação semestral.

As outras despesas administrativas apresentaram queda de 4,9% no segundo trimestre de 2019 quando comparadas ao segundo trimestre de 2018, e de 5,4% no semestre em relação ao primeiro semestre de 2018. A queda foi motivada pela redução das despesas com processamento de dados, comunicações, alugueis, transportes e propaganda e publicidade.

Basileia

O BRB encerrou o semestre com índice de Basileia de 15,7%, dos quais 13,5% no capital nível I e 2,2% no capital nível II, acima do nível regulatório de 10,5%.

Em junho de 2019, o BRB possuía um total de 639 mil clientes, crescimento de 4,8% em 12 meses. Os clientes pessoa física representam um total 614 mil, aumento de 5,4% no período. Já os clientes pessoa jurídica são 25 mil e avançaram 4,0% nos últimos 12 meses.

O BRB conta com 128 agências distribuídas em todas as regiões do Distrito Federal e entorno, além de presença nos estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ao número de agências, somam-se 141 correspondentes bancários (BRB Conveniência) e 576 ATM próprios, complementados por mais de 23 mil ATM da Rede 24 horas, garantindo ao BRB cobertura de atendimento em todo território nacional.

Com informações da Ascom do BRB

expressaobrasiliense

Read Previous

Tasso apresenta parecer da PEC da reforma da Previdência e votação está marcada para dia 4 de setembro na CCJ

Read Next

Bancos de leite do DF viram referência para os países do Brics

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.