Prisão enfraquece Lula e põe Marina perto de Bolsonaro aponta pesquisa do Datafolha

Pesquisa Datafolha que entrevistou eleitores entre quarta e sexta-feira aponta para uma queda de intenção de voto no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida eleitoral. Lula começou a cumprir pena de prisão há uma semana, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. De acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo, Lula aparece com 31% dos votos em seu melhor cenário, uma queda em relação a seu melhor índice  anterior (36%), registrado em janeiro pelo mesmo instituto. Foram realizadas 4.194 entrevistas e a margem de erro do estudo é de dois pontos para mais ou para menos.

A queda do petista acompanha o crescente debate interno no PT com relação à candidatura de Lula. A informação oficial é que o ex-presidente será o candidato da legenda até o fim – mesmo condenado e detido, o político pode ser candidato e até eleito – a palavra final é do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e pode vir apenas na reta final de campanha, depois de agosto. A questão é que, até lá, o apoio de Lula, visto como candidato cada vez mais inviável, pode declinar. Isso enfraqueceria o papel do ex-presidente como cabo eleitoral. Todos no PT repetem que a decisão de desistir ou não da candidatura será de Lula.

Em uma análise publicada pela Folha, dois diretores do Datafolha lembram um dado que mostra o impacto da prisão do petista na intenção de voto: queda na pesquisa espontânea. Esse é o tipo de levantamento em que o eleitor é instado a responder em quem pretende votar sem que seja citado nenhum nome e é considerado um bom termômetro. Nesta pergunta específica, as menções ao nome do petista caíram 4 pontos percentuais. Por outro lado, sua rejeição, que já vinha em queda, caiu ainda mais.

O Datafolha também perguntou aos eleitores sobre intenção de voto em cenários em que o ex-presidente não está na urna eletrônica. Com o petista fora, o deputado de extrema direita Jair Bolsonaro (PSL), recém denunciado por racismo no Supremo Tribunal Federal, e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparecem grudados na liderança. Bolsonaro tem 17% e  a ex-ministra do Meio Ambiente de Lula oscila entre 15% e 16%.

Ainda nos cenários sem Lula, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aparece com entre 7% e 8%, colado com o pedetista Ciro Gomes (9%). A novidade do levantamento é a inclusão do nome do ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa. Recém filiado ao PSB, mas sem nem sequer ter lançado pré-candidatura presidencial, ele aparece com até 10% das intenções de voto.

Pesquisa Ipsos

Nem tudo foi má notícia para Lula, no entanto. Neste sábado, o jornal Estado de S. Paulo divulgou dados da pesquisa do instituto Ipsos que também mostram um país dividido quanto à prisão de Lula (50% a favor e 46% contra). Mais do que isso: os números do levantamento, que tem três pontos de margem de erro, mostram que uma ampla maioria da população (73%) concorda com a afirmação de que “os poderosos querem tirar Lula da eleição”. Outros 55% concordam com a afirmação de que ele sofre perseguição na Lava Jato.

Da Redação com informações de sites de notícias

Foto: Google Imagens

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s