O Fino da Política – O que rolou na semana e o que vem por aí

Tragédia de Brumadinho

O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, serve de alerta para as autoridades brasileiras quanto a necessidade de aumentar o rigor na fiscalização sobre a atuação das mineradoras. A negligência do Estado juntamente com a ganância da empresa que explora a extração de minério foram as principais causas da tragédia. Até quando interesses escusos vão estar acima da vida dos seres humanos? A natureza quando responde mostra sempre quem está certo nisso tudo.

Bolsonaro e a ajuda israelense

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobrevoou a área atingida pelo rompimento da barragem no sábado (26). Bolsonaro anunciou que o governo vai apurar de quem foi o erro e acionar a justiça em busca de punir os culpados. O governo israelense ofereceu ajuda com equipamentos e equipe militar especializada nesse tipo de situação e o presidente não hesitou em aceitar. Em outros tempos, o governo brasileiro não aceitaria. Os militares israelenses já estão a caminho do Brasil.

Semana decisiva no Congresso Nacional

A próxima sexta-feira (1º), em Brasília, será agitada. Os senadores e deputados tomarão posse para a nova legislatura e nesse mesmo dia escolherão as mesas diretoras das duas casas. As sessões devem longas. A semana que passou foi movimentada.

Na Câmara, a disputa deverá ficar mesmo entre Rodrigo Maia, do Democratas, e Fábio Ramalho, do MDB. As apostas dão como certa a vitória de Maia, porém, o temor de um possível revés de Ramalho, a la Severino Cavalcanti, está sendo cogitado.

No Senado, a disputa é uma incógnita. Álvaro Dias, do Podemos, Simone Tebet e Renan Calheiros, do MDB, são os nomes mais em evidência. É capaz que a raposa velha leve mais uma, mesmo dizendo que não é candidato a nada.

Ibaneis com a chance que pediu para fazer pela saúde

O governador do DF, Ibaneis Rocha, do MDB, obteve a sua primeira vitória na Câmara Legislativa esta semana. Conseguiu aprovar dois projetos de lei importantes para esse início.

O mais polêmico foi o da saúde. Servidores foram à CLDF protestar contra a proposta de ampliação do modelo de atendimento do Instituto Hospital de Base (IHB). Ibaneis queria que os hospitais de Taguatinga (HRT), de Santa Maria (HSM, Materno-Infantil de Brasília (HMIB) e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) fossem comtemplados com a proposta, porém, os distritais aprovaram o PL só com as UPAs e o hospital de Santa Maria. Houve deputados da base que não votou com o governo.

No frigir dos ovos, Ibaneis terá a oportunidade de mudar o atual cenário da rede pública de saúde e mostrar trabalho. Estamos na torcida, pois a população já não aguenta mais tanto descaso.

Por José Fernando Vilela

Montagem Expressão Brasiliense

Fotos: Google Imagens

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s