PROS, um partido cheio de polêmicas

Os candidatos do Partido Republicano da Ordem Social, o Pros, não terão vida fácil nas eleições deste ano. Como explicar que o partido que carrega o nome da Ordem Social está no meio dos escândalos da operação Lava Jato. O partido é citado como um dos beneficiários da propina distribuída pela Odebrecht nas eleições de 2014. O ex-diretor da empreiteira, Alexandrino Alencar, foi quem informou à Polícia Federal o pagamento de propina ao Pros.

O próprio ex-presidente de honra, Henrique Pinto e o ex-tesoureiro do Pros, Niomar Calazans confirmaram, na época que o caso veio à tona, que o partido recebeu dinheiro em troca do tempo de TV para a eleição da então presidente, Dilma Roussef e seu vice, Michel Temer. Ao todo, o Pros recebeu R$ 7 milhões em 2014. Não é a toa que os defensores da agremiação política enchem a boca para dizer que o Pros é quem vai oferecer a melhor estrutura aos seus candidatos neste ano.

A última polêmica do Pros envolve o seu presidente, Eurípedes Júnior. Júnior se negou a depor, na última quarta-feira (02), na delegacia de Polícia em Planaltina (GO). O político alega que o delegado, Cristiomário Medeiros, tem interesse em difamá-lo já que disputou a última eleição para a prefeitura do município e perdeu para um aliado de Eurípedes.

O delegado Cristiomário já trabalhou aqui no DF com o ex-distrital Rogério Ulysses como chefe de gabinete e, atualmente, viu o filho de 19 anos, Mikael Medeiros, perder o cargo no Ministério do Trabalho, indicado pelo deputado Jovair Arantes (PTB), por ter assinado o pagamento do contrato com a B2T no valor de R$ 22 milhões. Ou seja, ele gosta de estar no meio dos holofotes.

Mas, voltando ao Pros. Aqui no DF, o partido, aparentemente, terá a ex-deputada distrital, Eliana Pedrosa disputando o governo com as bênçãos da família Roriz. O partido tem nos seus quadros o senador Hélio José (o único representante do partido no Senado) e as deputadas distritais Telma Rufino e Liliane Roriz. Na Câmara dos Deputados, 11 parlamentares do Pros se juntam ao PTB formando uma bancada com 26 deputados.

O Pros foi um dos que mais cresceram em termos de filiações no quadrilátero federal. Tem policial civil, policial militar, feirante, conselheiro tutelar, líder comunitário, etc. O partido já foi da base do governador Rollemberg. Vamos aguardar os próximos capítulos do partido. Oxalá, que não sejam para manchar mais ainda a Ordem Social.

Da Redação

Foto: Google Imagens

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s